Alguns videos !

Loading...

Pesquisar este blog

23/09/2010

Hetfield: "Não tenho nada contra o Guns N' Roses"

O frontman do Metallica, James Hetfield, ficou conhecido por falar mal de Axl Rose na turnê conjunta com o Guns N' Roses no início dos anos 90 em um vídeo que se tornou um hit do YouTube.

Hetfield conta agora a Byron Cooke da rádio australiana Triple M o que ele realmente pensa do Guns N' Roses. Ambos os vídeos podem ser vistos, em inglês, abaixo.

"Eu não tenho nada contra o Guns N' Roses", diz Hetfield. "Digo, ele está fazendo o que ele quer fazer neste momento. Eu não sei se há muito 'guns' ou 'roses' nisso, mas é Axl, e ele é Axl e ele não mudou nem um pouco, e eu meio que respeito isso."

As exigências de Axl não mudou muito nas duas últimas décadas. A mesma bebida, o mesmo queijo... No entanto, Axl agora precisa de uma cama em seu camarim. "O que ele faz, dorme no show?", Hetfield ri.



Vídeos

EDITANDO....
Bom pessoal aqui esta todos os vídeos do Metallica (videos Clips)

Metallica - One


Director: Bill Pope and Michael Salomon - Filmed in December 1988 in Long Beach, CA - Video Premiere Date: January 22, 1989
Album: ...And Justice for All

Metallica - Enter Sandman


Director: Wayne Isham
Filmed in June 1991 in Los Angeles, CA
Video Premiere Date: July 30, 1991


Vídeo de Sydney, Austrália

Um vídeo oficial do Metallica.com, do show que a banda realizou em 18 de Setembro de 2010 em Sydney, Austrália - incluindo trechos do meet-and-greet, sala de ensaios e da apresentação propriamente dita - foi disponibilizado e pode ser conferido abaixo. muito bom por sinal :-) vale apena ver

Trujillo: "Somos privilegiados de estarmos na Austrália de novo"

A MTV australiana realizou uma entrevista com o baixista do Metallica, Robert Trujillo. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

MTV: Então por que a sua banda escolheu lançar um EP de apresentações ao vivo da Austrália ao invés de outras regiões?

Robert: Para se completamente honesto, eu não sei porque escolhemos lançar as produções ao vivo da Austrália. Sabe, faz sentido nós estarmos aqui e já faz um tempo, alguns anos. Eu preciso dizer isto - eu acho que nós somos uma banda bem melhor do que quando estávamos aqui em 2004, então eu espero que as pessoas não critiquem o que elas ouvirem, mas é uma forma para nós de mostrar as pessoas da Austrália que estamos animados em estar aqui e nós queremos dar a elas alguma coisinha... Eu amo surfar, eu amo o estilo de vida aqui na Austrália e como banda, nós estamos animados em estar aqui.

MTV: O EP "Six Feet Down Under" cobre vários shows passados do Metallica, alguns que não foram nem gravados por vocês. Como vocês se sentem em descobrir essa grande rede de bootlegs do passado?

Robert: Eu apenas ouvi talvez três ou quatro músicas e obviamente algumas delas são bem cruas, e eu acho que há uma mágica nisso... Mas essa é a beleza do Metallica; nós estamos prontos para entregar qualquer coisa. Digo, nós não estamos tentando esconder nada - eu acho que é bom que as pessoas possam passar pela experiência do passado e do presente, e talvez da próxima vez que estivermos aqui, nós daremos algo para o futuro... Vai saber.

MTV: E o EP cobre a turnê do "St. Anger". Como a turnê mudou para você desde a última vez que você esteve aqui?

Robert: Eu realmente, honestamente acho que nós amadurecemos. Nós fizemos o "Death Magnetic" juntos, nós experimentamos todo o processo de gravar como um time e ser criativo e também o [produtor] Rick Rubin em nosso campo, então nós nos divertimos bastante. Nós todos tivemos um monte de crianças nascendo nos últimos anos então as experiências de vida sozinhas são bem especiais. Nós nos sentimos privilegiados e honrados de estarmos aqui de novo e estamos prontos para detonarmos e eu acho que as pessoas se divertirão.

MTV: Se juntar a banda depois de anos de carreira pode ser difícil. Há algo que você faria de diferente? E há coisas sobre os outros membros do Metallica que ainda te surpreende?

Robert: Sabe, quando eu me juntei a banda, era um campo frágil. As coisas estavam definitivamente em uma direção positiva, mas eu acho que James Hetfield [guitarra, vocais] ainda estava bem frágil saindo da reabilitação e todas as coisas que estavam rolando na sua vida. E quando nós começamos a gravar o "Death Magnetic", eu percebi uma grande diferença dos dias do "St. Anger". Ele estava bem mais solto, meio que mais alegre. Antes estava meio que andando sobre ovos. Tudo era de acordo com uma agenda, então se você estivesse dez minutos atrasado, você receberia o olhar mortal ou você teria que ter uma reunião sobre isso, e para mim, sendo o cara novo... Eu estava vivendo em Los Angeles na época e me mudando e tudo isso, e era bastante coisa pra ver, aprender todas as músicas... Agora é como se ele tivesse conseguido seu fogo de volta. O "Death Magnetic", para ele, foi uma grande conquista. Ele estava bem focado e nós nos divertimos muito no processo e é ótimo estar com esses caras agora, e ele está tão animado em estar aqui.

Ulrich: "Não aproveitamos tudo que Newsted tinha a oferecer"

Dave Higgins da rádio australiana Triple M falou com o baterista do Metallica, Lars Ulrich, na última noite de quarta-feira (15 de Setembro) em Melbourne, antes da banda subir ao palco do Rod Laver Arena. Confira um trecho da conversa abaixo.

A respeito da saída do baixista do Metallica, Jason Newsted, em 2001 e sobre a substituição dele por Robert Trujillo, Ulrich disse, "quando eu penso nos anos do Jason, eu vejo um músico incrivelmente dedicado e uma pessoa incrivelmente dedicada a causa; ele era muito, muito engajado. Provavelmente nunca deram a ele uma saída para... Eu não acho que nós aproveitamos de... A banda não aproveitou de tudo que ele tinha para dar. Foi assim que aconteceu, e nós não estávamos em um momento na época onde estávamos lidando melhor com isso. A coisa irônica é que sua saída meio que trouxe a banda mais próxima, porque percebemos que ele estava saindo porque não éramos capazes de realmente lidar uns com os outros. Rob é... Ele simplesmente se encaixa. Sua personalidade realmente gruda com as personalidades do resto de nós e ela funciona simplesmente de alguma forma muito orgânica, sem fazer esforço; nós não forçamos as coisas."

Segundo a MTV, Newsted saiu do Metallica em Fevereiro de 2001 por diversas razões, incluindo seu desejo de ter um papel mais criativo. Ele também sentiu que a banda perdeu seu foco e estava passando muito tempo envolvido em retóricas políticas. E finalmente, ele precisava de tempo para se recuperar de uma lesão no pescoço e costas que ele teve por bater cabeça todas as noites no palco.

Em uma entrevista de Julho de 2008 para a TV norueguesa VG, o guitarrista/vocalista do Metallica, James Hetfield, comentou sobre as contribuições de Trujillo para o último álbum da banda, "Death Magnetic", "eu não preciso realmente dizer isso, mas eu direi - ele é um baixista espetacular; muito competente. Ele pode tocar basicamente qualquer coisa que jogamos para ele. Não só isso, mas obviamente [Robert] tocando com seus dedos traz um som mais completo. Ele - e sem desrespeito ao Jason - mas Rob já escreveu mais neste álbum do que Jason fez em seus 14 anos. Muito disso tem a ver com nós não querermos, e eu entendo totalmente isso, mas é que seu material parece se encaixar melhor. Parece que nós nos conhecemos desde sempre, basicamente, é o que parece. E ainda há horas em que eu o vejo nas fotos com a gente, e eu digo, 'Oh, yeah! Ele está em nossa banda. Cara, nós detonamos ainda mais agora'. É uma boa sensação."

Matéria da TVNZ sobre Metallica

Uma matéria da TVNZ de três minutos a respeito do show do Metallica realizado em 21 de Setembro de 2010 no CBS Canterbury Arena em Christchurch, Nova Zelândia, foi disponibilizado e pode ser conferido abaixo.

Música do Metallica com Ray Davies


O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito de uma colaboração do Metallica com Ray Davies:

Confira nossa versão de "You Really Got Me" com Ray Davies

Há cerca de um ano, nós tivemos a honra de tocar com Ray Davies no show de 25 anos do Rock and Roll Hall of Fame em Nova Iorque... Foi a primeira vez que encontramos com Ray e foi definitivamente um dos destaques da nossa noite. Avançando alguns meses para a sala de ensaios antes do show em Oslo em 14 de Abril e lá estávamos nós gravando com Ray!!! O quão legal é isso?

Acontece que Ray está planejando lançar um disco de colaborações de músicas clássicas do Kinks e com uma grande variedade dos músicos de hoje e pediram para gente para sermos incluídos nesse grupo de estrelas cobrindo vários gêneros e estilos. O resultado está chegando em seu local favorito para comprar música ao redor do mundo em 1 de Novembro de 2010. Entitulado "See My Friends", nossa versão de "You Really Got Me" aparece no disco, junto de Ray com Bruce Springsteen, Jon Bon Jovi e Richie Sambora, Lucinda Williams, Jackson Browne, Alex Chilton, Spoon, Frank Black, Billy Corgan e muitos outros.

Trailer do DVD The Big Four Live

Um trailer de 3 minutos e meio do novo DVD "The Big Four: Live From Sofia, Bulgaria", contando com Metallica, Anthrax, Slayer e Megadeth, caramba esperadno para poder comprar :-) foi disponibilizado e pode ser conferido abaixo.



Como noticiado anteriormente, DVD deverá ser lançado em 29 de Outubro na Europa, 1 de Novembro no restante do mundo, e 2 de Novembro na América do Norte.

21/09/2010

Palheta Black Fang de James Hetfield


Dos épicos do Metallica como "Master of Puppets" aos novos monstros como "Cyanide", o estilo do mestre dos riffs James Hetfield inspirou muitos. Preferindo palhetas com um som claro e ataque feroz, Hetfield procurou pela Dunlop para a ferramenta perfeita para seu estilo de palhetada para baixo. Baseada na palheta vintage de casco de tartaruga, a Black Fang é feita de material Ultex rígido com um tom definido e ataque preciso. Sua ponta e contorno lhe dão o controle e velocidade definitivos - perfeito para guitarristas que buscam um tom claro, veloz e preciso. "É rápido, claro e forte por causa da sua ponta dura e material", disse Hetfield. "Lhe dá tudo que você precisa - acrescenta veneno".

Ulrich fala sobre a inspiração do Diamond Head

Dave Higgins da rádio australiana Triple M falou com o baterista do Metallica, Lars Ulrich, na última noite de quarta-feira (15 de Setembro) em Melbourne, antes da banda subir ao palco do Rod Laver Arena para o primeiro de cinco shows e uma longa turnê na Austrália. Confira um trecho da conversa abaixo.

Quando perguntado sobre a banda que foi responsável por inspirar Lars a formar o Metallica, Ulrich disse, "era o verão de 81 e eu estava tentando lançar uma banda na Califórnia, mas não aconteceu nada demais, então eu meio que me enchi da coisa toda."

"Diamond Head era minha banda favorita, e eu cheguei no Heathrow Airport (em Londres) e fui para o Woolwich Oden, que era chamado, que era meio que um Oden pequeno; era do tamanho desta sala que estamos aqui. E lá estavam eles - Diamond Head. E eu me infiltrei no backstage e tive a chance de conhece-los depois. Eu tinha escrito na verdade algumas cartas de fã para eles. Eu fiquei chocado de descobrir que eles sabiam na verdade quem eu era. Talvez eles não recebessem muitas cartas de fãs como eu esperava, porque a carta que eu enviei estava no radar deles. Mas então eu acabei ficando com eles pela melhor parte do resto do verão e acabei dormindo na sala do vocalista."

"Muitas dessas bandas que surgiram nesse período, tudo sobre o New Wave of British Heavy Metal que eu realmente gostei foi que todas essas bandas estavam bem firmes. Havia uma atmosfera relaxada ao redor deles, não era tipo..."

"Tudo que estava rolando nos anos 70 com bandas como Queen e Pink Floyd e Deep Purple e Led Zeppelin, tinha tudo a ver com esse tipo de coisa maior que a vida e todas essas bandas que eram tão grandes e tão fora daqui. E muitas dessas bandas novas - Iron Maiden e Diamond Head e todas essas bandas - eles eram só crianças, e eles tinham os pés bem no chão. Então, de certa forma, o espírito de todo aquele movimento sobre se manter real e todas essas atitudes meio que nos afetou e me afetou e me fez querer começar uma banda e realmente ter os fãs envolvidos e dar aos fãs o máximo acesso possível."

Metallica no Guitar Hero 6 e DJ Hero 2

site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do Guitar Hero: Warriors of Rock e DJ Hero 2:

Nós temos uma faixa no GH: Warriors of Rock e você pode importar suas músicas do GH: Metallica de graça por uma semana... Também há uma faixa no DJ Hero 2!

Várias notícias do Guitar Hero para você nesta semana... A primeira e fácil notícia antes: em 19 de Outubro, DJ Hero 2 chega as lojas e inclui um mix do DJ Shadow para "The Day That Never Comes" com "Love Lockdown" do Kanye West... É legal ou não é?

Agora, a outra notícia do GH do dia: Guitar Hero 6, também conhecido como Guitar Hero: Warriors of Rock, chega as lojas em 28 de Setembro e nós estaremos lá! Procure por nossa versão de "Paranoid" no jogo, gravada com nada menos do que Ozzy Osbourne nos shows dos 25 anos do Rock and Roll Hall of Fame. Em conjunto com o lançamento do Guitar Hero: Warriors of Rock, se você tiver uma cópia do Guitar Hero: Metallica, poderá importar 39 músicas do disco do jogo diretamente na sua biblioteca de música do Guitar Hero a partir de 28 de Setembro. Se você comprou o Warriors of Rock entre 28 de Setembro e 5 de Outubro, e tiver um Xbox 360 americano ou Playstation 3, você poderá fazer isso de graça!

A importação através do disco contará com as seguintes músicas:

* Bob Seger & the Silver Bullet Band - "Turn The Page (Live)"
* Diamond Head - "Am I Evil?"
* Kyuss - "Demon Cleaner"
* Lynyrd Skynyrd - "Tuesday's Gone"
* Machine Head - "Beautiful Mourning"
* Mastodon - "Blood & Thunder"
* Mercyful Fate - "Evil"
* Metallica - "Battery"
* Metallica - "Creeping Death"
* Metallica - "Disposable Heroes"
* Metallica - "Dyers Eve"
* Metallica - "Enter Sandman"
* Metallica - "Fade To Black"
* Metallica - "Fight Fire With Fire"
* Metallica - "For Whom The Bell Tolls"
* Metallica - "Frantic"
* Metallica - "Fuel"
* Metallica - "Hit The Lights"
* Metallica - "King Nothing"
* Metallica - "Master Of Puppets"
* Metallica - "Mercyful Fate"
* Metallica - "No Leaf Clover"
* Metallica - "Nothing Else Matters"
* Metallica - "One"
* Metallica - "Orion"
* Metallica - "Sad But True"
* Metallica - "Seek And Destroy"
* Metallica - "The Memory Remains"
* Metallica - "The Shortest Straw"
* Metallica - "The Thing That Should Not Be"
* Metallica - "The Unforgiven"
* Metallica - "Welcome Home (Sanitarium)"
* Metallica - "Wherever I May Roam"
* Metallica - "Whiplash"
* Motorhead - "Ace Of Spades"
* Samhain - "Mother Of Mercy"
* Social Distortion - "Mommy's Little Monster (Live)"
* The Sword - "The Black River"
* Thin Lizzy - "The Boys Are Back In Town"

DVD da festa de 25 anos do Rock and Roll Hall of Fame


O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do lançamento em DVD dos shows da festa de 25 anos do Rock and Roll Hall of Fame:
Disponível na América do Norte em 5 de Outubro

Cerca de um ano atrás, nós estávamos mais do que honrados em participar de um evento especial de duas noites para celebrar o 25o. aniversário do Rock and Roll Hall of Fame. As duas noites de shows no Madison Square Garden trouxeram juntas um incrível grupo de artistas e resultaram em algumas colaborações bem espetaculares.

O conjunto de três DVDs comemorando as apresentações, disponível em sua loja favorita ou site em 5 de Outubro, incluirá o especial de quatro horas com os destaques que foi ao ar na HBO. Além das 51 apresentações, há um bônus de 16 apresentações adicionais não vistas na HBO e uma edição de colecionador da revista Rolling Stone contando com história dos bastidores. Também haverá uma versão em Blu-ray disponível exclusivamente na Best Buy pelos primeiros 30 dias.

Nosso set incluiu:
"For Whom the Bell Tolls"
"Sweet Jane" com Lou Reed
"Iron Man/Paranoid" com Ozzy Osbourne (versão completa, não vista na HBO)
"All Day and All of the Night" com Ray Davies
"Enter Sandman"
"Turn the Page"

Outros artistas que tocaram nessas duas noites especiais foram Crosby, Still and Nash, Stevie Wonder, Simon and Garfunkel, Aretha Franklin, U2, Jeff Beck, and Bruce Springsteen. Special guest appearances included Jerry Lee Lewis, Bonnie Raitt, Jackson Brown, Smokey Robinson, B.B. King, Annie Lennox, Lou Reed, John Fogerty, Mick Jagger, Fergie, e outros.

Hetfield visita loja Camden County Customs


egundo o Macarthur Chronicles, o frontman do Metallica, James Hetfield - conhecido por ser entusiasta de carros - visitou a loja Camden County Customs em Smeaton Grange em Camden, New South Wales, Austrália, no domingo, 19 de Setembro.

Segundo Raquel, esposa do dono da loja, Terry Woods, Hetfield foi um convidado dos donos de um Cadillac customizado lá.

Hetfield almoçou no Camden Valley Inn, onde o gerente afirmou que nesse dia, o vocalista do Metallica bebeu limonada e comeu um hamburguer Wagyu.

"Ele foi um cara realmente legal", Mark Lundy de Elderslie disse ao Macarthur Chronicle. "Por acaso eu tinha minha guitarra (Fender Stratocaster) no porta-malas do meu carro, e eu perguntei a ele se ele não se importaria de autografa-la."

"Ele disse, 'sem problema, companheiro'. Rapidamente todos souberam que ele estava lá."

Nova data de lançamento do The Big Four Live


Novas datas de lançamento do DVD e Bluray The Big Four: Live From Sofia, Bulgaria, contando com Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax, foram anunciadas. O vídeo deverá ser lançado em 29 de Outubro na Europa, 1 de Novembro no restante do mundo, e 2 de Novembro na América do Norte.

Hetfield: "Reabilitação foi a universidade que eu nunca fui"

O TheAge.com.au da Austrália realizou uma entrevista com o guitarrista/vocalista do Metallica, James Hetfield, antes do show da banda em 18 de Setembro de 2010 no Acer Arena em Sydney.

Sobre como a banda mudou durante os anos:

Hetfield: "Eu diria que nós amadurecemos um pouco. Eu acho que a coisa principal é que percebemos o que é realmente importante e o que não vale nem a pena batalhar, e muito disso tem a ver com as dinâmicas internas da banda. Agora que todos nós temos filhos, meio que percebemos o quão infantis somos algumas vezes. [Risos] As coisas estão bem melhores. Eu não achava que as coisas poderiam ficar melhores do que quando tínhamos 20 anos, e então quando tínhamos 30 e 40 - nós estamos nos 40 agora. É bem espetacular."

Sobre se ele ainda sente que o Metallica está em seu topo:

Hetfield: "Eu acho que sempre pensaremos isso. [Risos] O que as outras pessoas nos dizem pode ser diferente, sabe?! Mas eu sinto isso mentalmente, e eu diria fisicamente, nós estamos em melhor forma do que estávamos há anos. Mentalmente, com certeza - nós estamos nos dando muito, muito bem. Fisicamente, sabe - nós estamos na estrada por 30 anos e pouco, e todos nós tivemos nosso, 'oh, meu ombro esta noite', ou 'oh, minha garganta' ou 'minhas costas'. Sempre há algo."

Sobre fazer isso há 30 anos sem uma pausa de verdade:

Hetfield: "Bem, houveram vezes em que nós dissemos, 'nós precisamos dar um pouco de tempo'. Depois da turnê do álbum preto no começo dos anos 90, nós estávamos na estrada por quase três anos para aquele álbum, e nós tínhamos seriamente que dar um tempo naquilo. Mas, sabe, eu entendo que muito dos fãs do Metallica estão por aí simplesmente, 'ok, agora que a turnê acabou, ótimmo. Nós não vamos ouvir qualquer música por outros cinco anos', ou 'eles não voltarão aqui por oito anos'. É um longo ciclo para nós e nós estamos tentando ficar rápidos nisso, mas vamos no passo que precisamos ir."

Sobre quando ele acha que a banda não estava em um bom estado:

Hetfield: "Oh, meu Deus. Nós todos meio que tivemos nossos... Cada membro individual da banda teve suas, meio que, escorregadas em momentos diferentes - seja por causa das drogas ou do sexo ou da bebedeira... O álbum preto foi meio que a época em que as coisas ficaram um pouco mais fáceis e, 'uau, nós estamos fazendo turnê em todos os lugares'. Meio que tudo se alinhou, especialmente nos Estados Unidos, onde foi simplesmente... Não tínhamos como errar. E nós ficamos um pouco complacentes e meio que despreocupados com essa responsabilidade. Não foram coisas horríveis que aconteceram do tipo que você lê com outras pessoas contando - todos os livros, mas nós todos tivemos nossas mancadas que tivemos que passar.

Sobre ir a reabilitação em 2001 e como isso o mudou:

Hetfield: "Oh, cara... Reabilitação foi... Foi realmente como a universidade que eu nunca fui. Ou, na verdade, os pais que ensinaram um pouco mais... Ou explicaram bem melhor as coisas sobre a vida. O que aconteceu lá foi ser desmontado até os ossos e então meio que reconstruir de uma maneira diferente - de forma mais adulta. Você nunca sabe o que as pessoas não sabem sobre a vida e o que todos acham que sabem - coisas que seus pais te ensinam ou quem quer que seja, coisas que você colhe no caminho. Algumas pessoas colhem algumas habilidades de sobrevivência perigosas. E não era o clube que você vê em alguma TV. A reabilitação, a palavra, é simplesmente jogada como se não fosse nada. 'Ei, é o lugar para se estar agora'. E isso é realmente triste, porque é pra supostamente ser um lugar onde você possa ser você mesmo e simplesmente dizer, 'me ajude' - se entregar completamente - e não parece mais ser isso. É meio que triste."

Sobre o documentário "Some Kind of Monster" e se foi uma reviravolta para a banda assim como foi para os fãs, da forma como eles conheciam o Metallica:

Hetfield: "Bem, esta foi uma época... Digo, foi um renascimento para mim. Aquilo foi uma inacreditável, uma catártica experiência na vida. Se eu não passasse por isso, todas as outras coisas não teriam acontecido, realmente, eu acredito. Mas como artista, nós achamos que valia a pena pegar aquela chance e ser... Você não pode errar sendo honesto - você não pode. E isso nos ajudou muito na estrada, ter fãs que se relacionam com a gente mais profundamente, em outro nível. Nos meet-and-greets, é inacreditável o que fãs dizem agora ao invés de rápido, 'ei, ótimo, obrigado. Ei, camiseta legal'. Ok, próximo. Há coisas como, 'você salvou minha vida', há, 'meu pai morreu e eu não sabia mais o que fazer e eu ouvi sua música'. É totalmente um outro nível."

Sobre como seria sua reação há 30 anos, se alguém falasse para ele que 30 anos depois, ele estaria tocando no Acer Arena em Sydney, Austrália, em um show de ingressos esgotados:

Hetfield: "Eu teria falado, 'pode apostar. Pode apostar que eu estarei'. Era assim. Eu iria fazer isso. Não havia o que me segurasse. Não havia... Havia outra opção, mas tinha que ser música - era tipo, era isso; é isso que eu vou fazer. Eu me lembro bem claramente do meu irmão dizendo, 'oh, então você vai ser um rock star e estar no palco, hein?' E eu, 'Sim.' Eu acho que não sabia o que era sarcasmo na época. Eu era tipo, 'Sim, eu vou'. E era meio que isso."

Sobre qual é o seu álbum favorito do Metallica:

Hetfield: "É difícil, porque cada um deles tem seu lugar no meu coração, e todos eles me lembram ou o que estava passando ou o que eu queria que tivesse acontecido na vida. Eu gosto muito do 'Ride the Lightning'. Este foi o primeiro álbum que realmente tínhamos que escrever e nós tínhamos um pouco mais de experiência. Eu amo o álbum preto - eu gosto de todo o processo dele. E este último, 'Death Magnetic', realmente me surpreendeu com o que fizemos e a reação das pessoas com ele."

Sobre o que o surpreendeu no "Death Magnetic":

Hetfield: "Bem, o fato das pessoas terem gostado dele. É tipo, 'você tem certeza?' Ainda me surpreende. Eu estou lá, tocando uma música que é suja, e gritando para as pessoas, e há uma menina de 18 anos falando, 'Yeah!' O que? [Risos] Cadê seus pais? O que está acontecendo aqui? Ou você tem um cara de 50 anos lá, batendo cabeça como louco. Há pessoas que realmente gostam da música e isso me surpreende."

Entrevista de Hetfield para Triple M

yron Cooke da rádio australiana Triple M realizou uma entrevista com o guitarrista/vocalista do Metallica, James Hetfield, antes do show da banda em Sydney, no dia 18 de Setembro de 2010. Confira

17/09/2010

Vídeo do box do Big Four

Um vídeo de 36 segundos mostrando a edição limitada do box "The Big Four: Live From Sofia, Bulgaria" - que inclui DVD, 5 CDs, um livreto de 24 páginas, um pôster, fotos de cada banda e uma palheta do "Big Four" - foi disponibilizado e pode ser conferido abaixo.

Shakira faz cover de Metallica

Gravações amadoras da cantora colombiana Shakira cantando uma versão do clássico do Metallica, "Nothing Else Matters" no show de abertura da sua atual turnê norte-americana em 15 de Setembro de 2010 no Bell Centre em Montreal, Canadá, foram disponibilizadas e podem ser conferidas abaixo.


Na segunda noite de show em Melbourne, Austrália, realizada hoje, 16 de Setembro, o Metallica tocou a seguinte setlist:

That Was Just Your Life
Cyanide
Creeping Death
Holier Than Thou
One
The Four Horsemen
Wherever I May Roam
Sad But True
The Unforgiven
...And Justice For All
The Day That Never Comes
Master Of Puppets
Battery
Nothing Else Matters
Enter Sandman
- - - - - - - -
Helpless
Motorbreath
Seek and Destroy

Entrevista de Ulrich para Triple M

Dave Higgins da rádio australiana Triple M realizou uma entrevista com o baterista do Metallica, Lars Ulrich, na última noite (quarta-feira, 15 de Setembro) em Melbourne, antes da banda subir no palco do Rod Laver Arena. Assista a conversa abaixo.

Hammett: "Nós amamos uns aos outros e odiamos uns aos outros e tudo entre isso"

Andrew Murfett do The Age realizou uma entrevista com o guitarrista do Metallica na noite de ontem (15 de Setembro) em Melbourne, antes da banda entrar no palco do Rod Laver Arena para o primeiro de cinco shows e uma longa turnê australiana. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

Sobre a turnê atual do Metallica:

"Esta turnê tem sido bem mais fácil e mais tranquila do que as últimas. Musicalmente e mentalmente, nós estamos em uma posição bem melhor. Nós estamos tocando bem melhor do que na última turnê. Todos estão de bom humor."

Sobre fazer turnê sendo pais:

"Nesta turnê, todos nós somos pais agora. Todos nós temos famílias. O que não era o caso na última turnê. A nova agenda nos permite passar mais tempo com nossas famílias, o que significa que estamos bem mais felizes e mais consistentes, e estamos vendo nossas famílias regularmente. Há um bom balanceamento no meio. É ótimo saber e sentir que estamos todos na mesma página."

Sobre o documentário do Metallica "Some Kind of Monster", que detalha um período conturbado da banda:

"Nós não somos mais essa banda. A banda que você vê no filme, nós não somos ela há uns cinco anos. Nós temos um relacionamento melhor um com o outro. Nós seguimos em frente. O estado das relações parece com aquele que tínhamos nos anos 80. Nós estamos de volta a essa vibração, o que é uma coisa ótima."

"Nós somos irmãos. Nós amamos uns aos outros e odiamos uns aos outros e tudo que está no meio. Eu me sinto sortudo de ainda termos o relacionamento que tínhamos. Algumas vezes eu sinto como se eles fossem minha outra esposa."

Sobre a setlist da turnê australiana:

"Basicamente, Lars [Ulrich, bateria] pega todas as estatísticas do que tocamos na Austrália em 1989 e 1993 e 2004. Ele junta um set que contempla todas as músicas que temos que tocar ('Nothing Else Matters, 'One', 'Enter Sandman'), todas as músicas novas que queremos tocar (do Death Magnetic), e então há uma certa quantidade de músicas que não tocamos aqui ainda."

Setlist primeira noite de Melbourne, Austrália


Na primeira noite de show em Melbourne, Austrália, realizada hoje, 15 de Setembro, o Metallica tocou a seguinte setlist:

That Was Just Your Life
The End Of The Line
For Whom The Bell Tolls
Fuel
Fade To Black
Broken, Beat & Scarred
No Remorse
Sad But True
Welcome Home (Sanitarium)
All Nightmare Long
One
Master Of Puppets
Blackened
Nothing Else Matters
Enter Sandman
- - - - - - - -
Am I Evil?
Whiplash
Seek and Destroy

Primeira foto do box do Big Four


A primeira foto da edição limitada do box do "The Big Four: Live From Sofia, Bulgaria", que inclui DVD, 5 CDs, um livreto de 24 páginas, um pôster, fotos de cada banda e uma palheta do "Big Four"

Voluntários de Christchurch recompensados com ingressos do Metallica

Segundo o The New Zeland Herald, estudantes voluntários que ajudaram nos esforços pós-terremoto em Christchurch, Nova Zelândia, foram recompensados com ingressos para um show do Metallica.

O Metallica tem dois shows com ingressos esgotados agendados para a próxima semana no CBS Canterbury Arena, mas devido ao terremoto devastador de 7.1 graus de magnitude com epicentro a 40km de Christchurch, a banda e o promotor Michael Coppel quiseram ajudar.

Eles doaram cerca de 300 ingressos para os estudantes voluntários e serviços de emergência para irem ao show.

O prefeito de Christchurch, Bob Parker, disse que essa foi uma oferta generosa e enviou uma mensagem de saudação as centenas de pessoas que trabalharam milhares de horas para restaurar a cidade.

Fonte:http://www.metalremains.com/

Metallica volta a confirmar shows em Christchurch

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito da ida da banda a Christchurch, Nova Zelândia:

Ainda estamos viajando para Christchurch... Esperamos te ver lá!

Nós estamos a caminho para Melbourne e animados para sair por aí e curtir de novo. Nós meio que fizemos uma política aqui de não responder a boatos e especulação, no entanto o terremoto recente de 7.2 graus de magnitude em Christchurch, Nova Zelândia é certamente uma situação única e nós estamos cientes de que houveram várias notícias de que não conseguiríamos ir.

Bem, estamos indo. Com tudo. Entre lidar com nuvens européias de cinzas vulcânicas em Abril passado (e não perder nenhum show...) e viver na Califórnia a maior parte de nossas vidas, não estranhamos os efeitos dos desastres naturais e nossos corações vão para aqueles que foram afetados por este tremor. O que podemos e iremos fazer é o que sempre fazemos - ir e tocar, dar 110% e "botar pra quebrar" (!!) em nossa maneira única nas duas noites que estaremos em Christchurch.

Estamos ansiosos para nosso Outono na Austrália e Nova Zelândia... Está só começando!!

12/09/2010

पेस्सोअल कॉम सेगुइर उम साईट ओंडे वचस पोदेम लेर ओ लिव्रोड़ो मेताल्लिचा "ओ दिया कुंदो ओ मेताल्लिचा फोई अ इग्रेजा "

http://www.metallicaatchurch.org/files/metallica_chapter_one.pdf o livro esta em ingles então use o tradutor

OBS: adorei o livro vale apena ler

Metallica na igreja



A Canadian Press realizou recentemente uma entrevista com John Van Sloten, um pastor de 49 anos da Congregração Cristã Reformada da New Hope Church em Calgary, Alberta, Canadá, e autor do livro "The Day Metallica Came To Church: Searching For The Everywhere God In Everything" ("O dia em que o Metallica foi a Igreja: Buscando por um Deus onipresente em tudo", em tradução livre).

Sobre pregrar a respeito do Metallica em seus sermões:

"Um garoto me pediu na igreja para pregar para o Metallica. Eu meio que disse, 'sim, claro', e disse a ele que eu rezaria para isso, que é como nós ignoramos as pessoas, e então no dia seguinte, alguém veio a nossa igreja me chamar com ingressos do Metallica."

"Então minha esposa e eu fomos ao Metallica e tivemos uma experiência lá, de uma maneira comunitária e profunda de que essas pessoas estão compartilhando uma tristeza e um sentimento de injustiça de como o mundo está errado."

"Isso colocou meu coração nisso, então eu voltei e li todas as letras e enquanto eu lia suas letras, eu tinha uma verdade da bíblia ou uma passagem que vinha na mesma hora."

Sobre a música "Creeping Death" do Metallica:

"O Metallica escreveu esta música baseada nas 10 pragas e no Êxodo. Basicamente você está citando o mesmo episódio. Eu vi essas conexões entre a verdade bíblica e o Metallica como a verdade do heavy metal. Quando você os coloca lado a lado, me convenceu que o Metallica precisava ser pregado."

Sobre como o Metallica enviou uma equipe de filmagem para a igreja para filmar seu sermão, depois que souberam que ele estava pregando sobre a banda:

"Foi algo grande que o Metallica ficasse intrigado e realmente quisesse filmar o serviço, para que eles pudessem ver uma igreja pregar sobre eles. Não só da maneira como eles imaginavam que as pessoas pregariam sobre eles, mas vê-los como profetas do antigo testamento nos termos de algumas coisas que eles ficam bravos."

fonte:http://www.metalremains.com/

08/09/2010

Novo EP Six Feet Down Under


O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte informação, a respeito de um lançamento de um novo EP da banda:

Lançamento de EP de oito músicas em celebração!

Nós estamos animados com o nosso retorno a Austrália e Nova Zelândia na próxima semana... Foram seis longos anos desde nossa última visita e estamos prontos para quebrar tudo! As boas pessoas da Universal Music estavam tão excitadas que eles sugeriram na verdade que lançassemos algo especial para comemorar esta última parte da turnê World Magnetic, então... tcharam... Nós apresentamos o EP em edição limitada "Six Feet Down Under"! Disponível em breve nas lojas da Oceania e bem aqui na loja do Metallica.com em 20 de Setembro.

Aqui está a história... O confiável cérebro coletivo surgiu com aquilo que imaginávamos ser uma idéia meio divertida... Que tal algumas gravações ao vivo de cada vez que fomos sortudos o suficientes para visitar a área? Estava tudo bem e bom até que percebemos que nós não começamos a fazer gravações multitrack de cada show até 2004... Oops! Mas vocês, os fãs, vieram para nos ajudar com algumas opções bem decentes de bootlegs e nós afunilamos em duas músicas de cada turnê em 1989, 1993, 1998 e 2004. Indo um pouco mais fundo, percebemos que tínhamos faixas que nunca foram lançadas como "b-sides ao vivo" (não estamos contando com as músicas bônus do iTunes, okay?) e isso acrescentou a aventura de juntar tudo isso.

Sejam gentis conosco... Algumas dessas músicas são, bem, digamos "cruas", o que pode ser um mal compreendido!! Elas, no entanto, capturam os momentos ao vivo e, esperamos, vocês curtirão ouvir tanto quanto curtimos tocando nessas noites.

1. Eye of the Beholder - Gravado ao vivo em 4 de Maio de 1989 no Festival Hall em Melbourne
2. ...And Justice For All - Gravado ao vivo em 4 de Maio de 1989 no Festival Hall em Melbourne
3. Through the Never - Gravado ao vivo em 8 de Abril de 1993 no Entertainment Centre em Perth
4. The Unforgiven - Gravado ao vivo em 4 de Abril de 1993 no National Tennis Centre em Melbourne
5. Low Man's Lyric (Acoustic) - Gravado ao vivo em 11 de Abril de 1998 no Entertainment Centre em Perth
6. Devil's Dance - Gravado ao vivo em 12 de Abril de 1998 no Entertainment Centre em Perth
7. Frantic - Gravado ao vivo em 21 de Janeiro de 2004 no Entertainment Centre em Sydney
8. Fight Fire With Fire - Gravado ao vivo em 19 de Janeiro de 2004 no Entertainment Centre em Brisbane

Metallica se recusa a cancelar shows por causa de terremotos

O grupo norte-americano Metallica está se recusando a cancelar dois shows na Nova Zelândia por causa de terremotos.

Segundo o site “Contactmusic”, o Metallica não quer decepcionar os fãs do país, que esgotaram os ingressos para duas apresentações nos dias 21 e 22 de setembro, no CBS Canterbury Arena, em Christchurch.

Nos últimos cinco dias, três terremotos atingiram a Nova Zelândia, incluindo um de 7,0 graus de magnitude, o mais forte registrado no país nos últimos 80 anos. Christchurch é a segundo maior cidade do país e a mais atingida pelos terremotos.

Hetfield em evento dedicado a Debbie Abono

Membros do Metallica, Machine Head, Death Angel, Forbidden, Skinlab e D.R.I, além de ex-membros do Exodus, Overkill, S.O.D., Possessed, Sacrilege B.C. e Stereomud, estão entre os músicos que estiveram no evento especial para celebrar a história de Debbie Abono, uma empresária respeitada e amada que esteve por trás de algumas das principais bandas da Bay Area de São Francisco (Possessed, Forbidden, Exodus, Vio-lence, Skinlab), que faleceu em 16 de Maio após uma luta contra o câncer. Ela tinha 80 anos. Fotos do evento, que aconteceu no último domingo, 29 de Agosto, no Crowne Plaza Hotel & Resort em Concord, Califórnia


fonte:http://www.metalremains.com/

02/09/2010

Tainted abrindo para o Metallica em Christchurch 02 de setembro de 2010Tags: christchurch, tainted Segundo a Stuff.co.nz, o grupo de metal Tainted,

Segundo a Stuff.co.nz, o grupo de metal Tainted, de Christchurch, Nova Zelândia, foi selecionado para abrir para o Metallica para os dois shows agendados para a cidade, em 21 e 22 de Setembro.

Tim Facoory diz estar em êxtase: "Eu acabei de descobrir que isto está acontecendo de verdade, há alguns minutos. Eu ainda nem contei para o resto da banda. Eu sentarei com eles em breve para dar a boa notícia."

Também abrirão para o Metallica as bandas internacionais Fear Factory e The Sword.


Fonte:http://www.metalremains.com/

01/09/2010

Pré-venda da edição de luxo do Big 4 Live


Está disponível para pré-venda no site oficial do Metallica a edição de luxo do DVD "The Big 4 Live From Sofia, Bulgaria". Compras realizadas através do Metallica.com receberão, junto do box, uma palheta exclusiva e vermelha, com desenho em quatro cores disponíveis (branco, preto, prata e dourado). Esta palheta não estará disponível nas lojas ao redor do mundo, e não há planos para um lançamento nacional desta edição de luxo.

Capa do DVD The Big 4 Live



O site oficial do Metallica divulgou a capa do DVD The Big 4 Live. Confira abaixo.

fonte:http://www.metalremains.com/

27/08/2010

Edição especial do Ride the Lightning

O fã-clube internacional do Metallica, MetClub, enviou a seguinte informação a seus membros, a respeito do lançamento da edição limitada em vinil azul do "Ride the Lightning":

Surpresas não fazem com que a vida valha a pena? Nesta quinta-feira, 26 de Agosto, a 1:00 PM PST (17:00 horário de Brasília), a Warner Bros. Records e MetClub.com realizarão uma venda única de mil cópias do Ride the Lightning em vinil AZUL de luxo! Esta edição limitada em vinil colorido vem em dois discos de 180 gramas e 45 RPM. Masterizados das fitas originais analógicas no Mobile Fidelity para a experiência definitiva de audição! Apenas mil cópias deste set especial foram prensadas e nunca foram lançadas para as lojas. Limitado a 2 por consumidor.

Anteriormente, o Metallica já havia lançado edições especiais coloridas do Kill'em All (1000 cópias vermelhas), Load (100 cópias brancas), Reload (100 cópias brancas), álbum preto (50 cópias brancas) e Death Magnetic (50 cópias brancas).

Música do Metallica no espaço?

Segundo o The Pulse of Radio, a "Enter Sandman" do Metallica pode ser uma das músicas ouvidas pela equipe do último voo do ônibus espacial Discovery em Novembro, de acordo com a Gibson.com. A Nasa lançou um novo concurso que permitirá que o público esolha quais músicas serão ouvidas pela equipe em sua viagem. As duas mais votadas serão usada para acordar a equipe durante esta missão de 11 dias.

Há 40 músicas para votar na lista, incluindo faixas dos Beatles, Foo Fighters, Rush, U2, 3 Doors Down, Tom Petty, The Rolling Stones, Stevie Wonder e outros.

Aspirantes a músicos podem submeter suas próprias músicas, com o vencedor sendo tocado a bordo do último voo planejado abordo do Endeavor em Fevereiro.

O comandante do Endeavor disse em um comunicado, "as equipes dos ônibus especiais realmente gostam da música para acordar. Embora nós não tenhamos os alto-falantes da melhor qualidade no ônibus espacial, será interessante ouvir o que o público escolher."

Música do Metallica no espaço?

Segundo o The Pulse of Radio, a "Enter Sandman" do Metallica pode ser uma das músicas ouvidas pela equipe do último voo do ônibus espacial Discovery em Novembro, de acordo com a Gibson.com. A Nasa lançou um novo concurso que permitirá que o público esolha quais músicas serão ouvidas pela equipe em sua viagem. As duas mais votadas serão usada para acordar a equipe durante esta missão de 11 dias.

Há 40 músicas para votar na lista, incluindo faixas dos Beatles, Foo Fighters, Rush, U2, 3 Doors Down, Tom Petty, The Rolling Stones, Stevie Wonder e outros.

Aspirantes a músicos podem submeter suas próprias músicas, com o vencedor sendo tocado a bordo do último voo planejado abordo do Endeavor em Fevereiro.

O comandante do Endeavor disse em um comunicado, "as equipes dos ônibus especiais realmente gostam da música para acordar. Embora nós não tenhamos os alto-falantes da melhor qualidade no ônibus espacial, será interessante ouvir o que o público escolher."

Mais informações do DVD The Big 4 Live

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do lançamento do DVD do The Big Four:

Da Bulgária para seu cinema local para sua sala de estar ou onde você puder aproveitar um pouco de metal ao vivo na tela...

VOcê pode ter ouvido a gente falar algo sobre um DVD no final da transmissão via satélite ou lido sobre isto nos boatos da internet... É verdade, haverá um lançamento em DVD do show dos Big 4 de Sofia, Bulgária!! Nós tivemos momentos maravilhosos com o Anthrax, Megadeth e Slayer e as câmeras já estavam gravando, então por que não?

O DVD chegará as ruas em 15 de Outubro no norte europeu, 18 de Outubro na maior parte do mundo, 19 de Outubro na América do Norte, e os shows completos das quatro bandas serão incluídos no conjunto de dois discos junto de cenas dos bastidores e entrevistas. Além do DVD duplo e do Blu-ray correspondente, haverá uma edição limitada "super luxuosa" incluindo o DVD, cinco CDs com todas as músicas, um livreto de 24 páginas, um pôster, fotos de cada banda, e uma palheta do Big 4.

O título inteligente do DVD é "The Big 4 Live From Sofia, Bulgaria" (sim, é isso mesmo!!) e se você estiver interessado na caixa, haverá uma pré-venda na Metallica Store em breve. E como sempre, fiquem de olho aqui para mais detalhes, um preview da capa, etc., etc.

23/08/2010

Mustaine: "Quero um novo relacionamento com o Metallica"

Dave Mustaine, líder do Megadeth, e Kerry King, guitarrista do Slayer, fizeram uma entrevista conjunta para a edição de setembro/outubro da revista Revolver. Confira abaixo alguns trechos da conversa.

Revolver: Vocês recentemente fizeram o sétimo show do "Big Four" no Sonisphere na Europa, com o Metallica e Anthrax. Como foi?

Kerry King: Foi um daqueles raros momentos quando tudo funciona até melhor do que você espera.

Dave Mustaine: Foi incrível. Foi como na época em que éramos apenas quatro jovens bandas se conhecendo e saindo juntas.

Revolver: Foi estranho dividir o palco com o Metallica, a banda que você co-fundou e da qual mais tarde foi chutado?

Mustaine: Não, foi empolgante. Todos nós queríamos que isso acontecesse há muito tempo, e o Metallica finalmente decidiu que era a hora certa. Antes do primeiro show eles fizeram um jantar para as bandas, e eu fui até o James e disse, "Não quero consertar nosso relacionamento. Gostaria de ter um novo". E foi basicamente o que eu disse ao Kerry quando o vi no Japão. Digo, estamos todos mais velhos agora. Antes, eu disse coisas das quais me arrependo e crescí bastante.

King: Eu penso nisso como o início. Este é nosso novo ponto de partida. Vamos sair daqui e tentar conhecer o outro novamente.

Revolver: O "Big Four" virá aos EUA?

King: Esta é a primeira coisa que eu disse ao James quando o vi. Eu falei, "Cara, se isso for bem, não há razão para não ir pro resto do mundo. Todos querem ver este show também.

Mustaine: Todos conversamos, e Lars disse a mim que quer que isso continue. Ele falou sobre isso seguir durante o ano que vem. E nossos agentes dizem que há conversas sobre isso acontecer em 2012. Então estão todos falando agora. É apenas questão de fazer acontecer.


Fonte :http://www.metalremains.com/

20/08/2010

Mustaine sobre o Metallica: "Nós somos amigos agora"

Chris Riemenschneider, do jornal americano Star Tribune, conduziu uma entrevista com o vocalista, guitarrista e principal compositor do Megadeth, Dave Mustaine, sobre sua recém-lançada autobiografia, "Mustaine: a Heavy Metal Memoir". confira abaixo alguns trechos da conversa.

Star Tribune: O livro lança uma luz diferente na sua demissão do Metallica. Você não pareceu tão irritado no filme "Some Kind of Monster". Ninguém pareceu, na verdade. Foi sua intenção acertar as contas?

Mustaine: "Não, não, não, essa não foi a intenção. Nós somos completamente amigos agora, temos sido por anos. Não há animosidade. É a imprensa que mantém a disputa viva. As pessoas ainda olham para as coisas baseando-se no que costumavam ser, mas nós éramos garotos naquela época. Não há mais nada lá."

Star Tribune: Mas ainda há, claramente, tensão no filme. Aquilo não foi um fator no processo de criação do livro?

Mustaine: "Basicamente, eu só queria contar aquela história sem machucar ninguém, e sem salvar minha própria pele prejudicando outras pessoas. Eu queria manter tudo, sabe, realmente divino na forma em que eu me conduzia. Eu acho que é por isso que essa coisa do Big Four pôde acontecer. James [Hetfield, vocal e guitarra do Metallica] e eu conversamos a respeito do passado. Eu me desculpei por algumas coisas, e ele se desculpou comigo. Nós tivemos uma experiência maravilhosa nessa aventura dos Big Four.

Star Tribune: Ainda há uma rivalidade saudável entre os Big Four ou entre vocês, Slayer e Testament?

Mustaine: "Eu realmente não quero falar de rivalidades. Há tantas coisas mais positivas para falarmos."

Star Tribune: Como isto aconteceu? Você também recuperou sua relação com [o baixista] Dave Ellefson.

Mustaine: "Quando eu machuquei o braço, olhei bastante para a minha alma. Eu não estava feliz com outras coisas na minha carreira. Eu tinha pessoas trabalhando para mim que não me ouviam, então eu demiti todos eles. Foi muito liberador, e o resultado foi que eu pensei em todas as outras pessoas com quem trabalhei. Não fiz muitas coisas das quais me arrependo para chegar onde estou na minha carreira, mas eu queria ter algumas segundas chances na forma como tratei algumas pessoas. Uma delas é o Gar Samuelson [baterista original do Megadeth], com quem eu gostaria de ter passado mais tempo antes que ele morresse. E outra é o Dave Ellefson, com quem estou de volta agora."

19/08/2010

Entrevista de Hammett no tributo a Johnny Ramone

O guitarrista do Metallica, Kirk Hammett, foi um dos convidados especiais no sexto tributo anual a Johnny Ramone que ocorreu em 25 de Julho de 2010 no Hollywood Forever Cemetery em Los Angeles, Califórnia. Hammett introduziu uma exibição do filme favorito de Johnny, o clássico de James Whale de 1935, "The Bride of Frankestein", celebrando atualmente seu 75o. aniversário. Hammett refletiu sobre sua amizade com Johnny Ramone e sua paixão por esta obra prima cinematográfica.

16/08/2010

Mustaine: "Estou animado com meu novo relacionamento com o Metallica"

Em uma nova entrevista com Greg Kot do Chicago Tribune, o líder do Megadeth, Dave Mustaine, revela que "o maior engano" que ele gostaria de esclarecer em sua recentemente publicada autobiografia, "Mustaine: A Heavy Metal Memoir", é que todos os "desentendimentos com outras bandas", que ele afirma serem "tão antigos". Ele completa, "nenhum de nós liga mais para isso. VOcê pode ver o que aconteceu com a reunião dos 'Big Four' (Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax) e todos nós tocando juntos. Foi como se houvesse algum tipo de diversão em ter desentendimentos, esta briga entre todos nós. Muitas pessoas tem desentendimentos. Mas nós estávamos no palco tocando juntos e nos abraçando no fim. Como isto pode ser uma briga quando você tem uma prova lá, registrada? Isto sairá em DVD - o tiro ouvido ao redor do mundo. Isto mostra para vocês como que esta coisa terrível foi perpetuada pela imprensa."

Quando pressionado em admitir que sua relação com estas outras bandas teve sua parcela de tensão e competitividade no passar dos anos, Mustaine responde, "como Lars (Ulrich do Metallica) diz, há o relacionamento que temos e o relacionamento que a imprensa acha que todos nós temos. E a prova é que quando nós todos estávamos fazendo a jam de 'Am I Evil?' (do Diamond Head), eu ouvia o quão alto o público estava, e estava tão alto quando nós nos abraçamos quanto quando estávamos tocando a música. Me deu arrepios. James (Hetfield do Metallica) e eu sermos capazes de nos abraçar naquela plataforma mundial mostra as pessoas que o metal é uma comunidade unida. Nós não deixamos os feridos para trás. Kerry (King do Slayer) disse para mim, 'eu nem me lembro mais porque eu estava bravo com você'. O que é importante é que os quatro pilares da comunidade do metal estão todos em um ótimo relacionamento agora. É uma pena que nossos políticos não possam se dar bem também. Nos Estados Unidos sempre há tem aquela história de boa sorte e todos querem ver a pessoa ganhar no fim. Eu tive um pouco de salvação assistindo toda essa coisa cíclica."

Após isso, Kot aponta que há uma cena no documentário "Some Kind of Monster" do Metallica onde Mustaine e Lars conversam, e Dave aparece como uma pessoa que nunca realmente superou ter sido demitido do Metallica em 1983. Mustaine responde que "eu acho que está bem certo. Eu ligo para essas coisas. Eu ainda ligo. Eu estava bebendo e me drogando, mas eu nunca recebi nenhum aviso de Lars ou James quando eles me demitiram. Eles só me colocaram em um ônibus e me mandaram para casa. O filme era algo que eles estavam fazendo, e eu não sabia sobre o que era. Eu já passei por terapia demais, então eu não liguei de ter sido colocado naquela situação. Tudo que eu queria era um pouco de proximidade e ter um novo relacionamento com esses caras. Nós fizemos tanto mal ao relacionamento através das drogas e álcool. Eu ainda queria ser amigo dele. Eu sabia que sentar e conversar com aquele cara ajudaria em partes. Eu só queria proximidade desses caras para que pudéssemos deixar o passado para trás. Nós éramos crianças quando tudo isso aconteceu. Mas James não estava lá quando Lars e eu tivemos nossa conversa (no filme). James disse para mim no show dos 'Big Four' que ele gostaria de ter estado lá, e eu fiquei sentido por isso. Eu achei que ele foi um cavalheiro, e estava muito orgulhoso dele. Isto é tudo tão fantástico agora. Eu estou tão animado com este novo relacionamento que eu tenho com estes caras."

15/08/2010

DVD do Big Four em Outubro no Japão

Update: No Reino Unido, o show será lançado em DVD e BluRay em 11 de Outubro.

Segundo a CDJapan.co.jp, o DVD "The Big Four" sairá no Japão em 13 de Outubro, pela Universal Music. Haverá duas edições: uma versão simples com um único DVD e uma versão luxuosa com DVD duplo e cinco CDs, contando com a transmissão dos shows dos Big Four do thrash metal dos anos 80 - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax, gravados em 22 de Junho de 2010 no Sonisphere de Sofia, Bulgária.

A edição luxuosa inclui ainda um poster do evento, um poster de cada banda, e palhetas de guitarra (a confirmar), e possui cerca de 20.5 x 15 x 4cm (também a confirmar).

11/08/2010

Mustaine não descarta turnê com Metallica

O líder do Megadeth, Dave Mustaine, disse a RollingStone.com que ele não descarta a possibilidade de uma turnê contando com os chamados "Big Four" do thrash metal dos anos 80 - Metallica junto de Megadeth, Slayer e Anthrax.

"Se a oportunidade surgir de novo, nós todos faríamos isso", disse Mustaine, que foi chutado do Metallica em 1983 devido ao abuso de álcool e drogas. "Eu acho que até seria legal se fosse só nós e o Metallica. Foi divertido para nós, ótimo para nossa carreira, e ótimo para todos os fãs porque no final da noite, quando eu fui e abracei o James [Hetfield, guitarrista/vocalista do Metallica], e eu ouvi o quanto o público gritou versus qualquer outra vez que estávamos tocando - isso foi o momento que você sonha quando é criança. O grande show - o maior show que você fará."

10/08/2010

Fear Factory e The Sword abrindo shows de Setembro

Fear Factory e The Sword abrindo shows de Setembro
10 de agosto de 2010Tags: fear factory, the sword


O Fear Factory e The Sword abrirão para o Metallica em seus shows de Setembro:

Setembro 15 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Setembro 16 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Setembro 18 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Setembro 21 - Christchurch, Nova Zelândia - CBS Canterbury Arena
Setembro 22 - Christchurch, Nova Zelândia - CBS Canterbury Arena
Setembro 25 - Tóquio, Japão - Saitama Super Arena
Setembro 26 - Tóquio, Japão - Saitama Super Arena

Como divulgado anteriormente, os shows de Outubro e Novembro contarão com Lamb of God e Baroness abrindo para o Metallica.

Para conferir todos as datas de shows anunciadas ou as setlists de apresentações passadas, basta visitar a página de turnê do Metallica Remains

03/08/2010

Aniversário de Hetfield


Hoje, 3 de Agosto, o frontman do Metallica, James Hetfield, completa 47 anos de vida. Felicidades!

28/07/2010

Metallica ajuda fã de Christchurch que ficou sem ingresso

O fã Jamie Woods de Blenheim, Austrália, chorou de alegria e foi ao fundo do poço nas últimas três semanas, mas um telefonema que achou que fosse uma brincadeira fez com que tudo isso valesse a pena.

Uma mulher da Q Prime, a empresa que gerencia o Metallica, telefonou para Woods no sábado, e disse que ele poderia ter dois ingressos para um dos shows de Christchurch no próximo mês.

Ele ficou de queixo caído quando a mulher disse a ele também que a banda gostaria de conhece-lo.

"Eu não chorei desta vez, congelei."

Ele pensou que a mulher estava passando um trote.

"Eu disse para ela, 'isso não é legal, você não pode fazer isso com alguém. É crueldade'."

No entanto, ele logo percebeu que ela não estava brincando.

"As pessoas ficaram me perguntando porque eu estava dançando como um palhaço."

Woods tem estado em uma montanha russa emocional desde que o Metallica anunciou neste mês que eles tocariam em Christchurch.

Ele foi um dos vários fãs que iniciaram uma campanha para levar o Metallica a Christchurch, embora sua contribuição tenha sido mais substancial do que a dos outros.

Ele organizou um abaixo-assinado, que foi distribuído na South Island em Maio e obteve 11.285 assinaturas em um único dia.

Ele caiu de joelhos e chorou quando ouviu que a banda estava indo a Christchurch, mas sua animação durou pouco, quando ele não conseguiu obter ingressos, que se esgotaram em menos de 30 minutos em 15 de Julho.

Woods tem ouvido os discos da banda desde que tem 5 anos, possui todos os CDs do grupo, incluindo duas cópias autografadas e algumas camisetas.

A turnê provavelmente seria a última do Metallica na Nova Zelândia, disse ele. "Significaria o mundo para mim."

Ele ainda não decidiu quem ele levará ao show em 21 de Setembro.

23/07/2010

Novo circuito de cinemas da retransmissão do Big Four


A MovieMobz, empresa responsável pela retransmissão dos shows dos Big Four no Brasil, divulgou o seguinte comunicado:

Devido a falhas operacionais na entrega do material digital do show , a reapresentação do Big Four marcada para hoje, 23, e amanhã, 24, teve algumas salas canceladas.

Os cinemas que seguem confirmados são:

Retransmissão do Big Four cancelada em diversos cinemas

O site do Cinemark foi atualizado com a seguinte informação, a respeito da retransmissão do show dos Big Four que aconteceria hoje e amanhã (23 e 24 de Julho) em todo o Brasil:

A distribuidora Movie Mobz não conseguiu disponibilizar a tempo o conteúdo do show “The Big Four”, programado para exibição hoje e amanhã. Por conta disso, e infelizmente, a Rede Cinemark não poderá exibir o filme em todos os cinemas programados. A Cinemark lamenta o ocorrido e esclarece que os clientes que adquiriram o ingresso na internet terão o valor da compra estornado automaticamente pela Ingresso.com em até dez dias úteis. Já no caso de compras realizadas na bilheteria dos complexos que não exibirão o show, os clientes devem ir ao cinema no qual a operação foi efetuada. Lá haverá um caixa exclusivo para a devolução do valor do ingresso. Nas praças onde o filme será exibido, os clientes que desejarem poderão assistir ao show em outro cinema da Rede, de acordo com a disponibilidade de assentos.

Cinemas que exibem o show:
- Pátio Savassi (BH)
- Floripa Shopping (Florianópolis)
- Praiamar Shopping (Santos)
- Shopping Interlagos (São Paulo)
- Shopping Vila Lobos (São Paulo)
- Shopping Pátio Higienópolis (São Paulo)
- Shopping Interlar Aricanduva (São Paulo)
- Grand Plaza Shopping (Santo André)
- Shopping Tamboré (Barueri)
- Park Shopping Barigui (Curitiba)
- Shopping Downtown (Rio de Janeiro)
- Novo Shopping (Ribeirão Preto)
- Iguatemi Brasília (Brasília)

Big Four fala sobre popularidade do thrash metal

Jamie Thomson do Guardian.co.uk entrevistou recentemente membros dos "Big Four" do thrash metal - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax - sobre a popularidade sempre viva do thrash e os recentes shows do festival Sonisphere contando com as quatro bandas. Alguns trechos podem ser conferidos abaixo.

Sobre o apelo contínuo do thrash metal:

Kirk Hammett (Metallica): "Ele conversa com a essência do núcleo da psique humana, cara. É verdade. Há uma batida e uma energia que conversa com você sem importar o seu passado cultural, idade, demografia. Se você ouvi-la e fizer uma conexão, está feito, cara, está nisso para o resto da vida."

Sobre o grande público presente nos shows do festival Sonisphere contando com os "Big Four":

Kerry King (Slayer): "O Metallica tira as pessoas das cavernas; todos vem para ve-los. O resto de nós somos só a cobertura de um bolo já destruidor."

Sobre o começo do thrash:

Scott Ian (Anthrax): "Nós éramos os renegados, e nós olhávamos para as bandas maiores e pensávamos, 'nós somos metal de verdade. Não vocês.' É tão estúpico quando eu penso sobre isso agora, mas eu entendo totalmente a mentalidade que tínhamos."

"As crianças podem crescer ouvindo Bon Jovi ou outra coisa, mas quando você chega aos 15 anos e elas simplesmente não querem mais isso - então elas começam a ouvir Anthrax e Metallica. E esta era nossa missão, fazer com que as crianças parassem de ir para o lado negro!"

Sobre a popularidade contínua do thrash metal:

Dave Mustaine (Megadeth): "Ainda há provavelmente pessoas fazendo glam metal e em algum lugar há um monte de meninas com peitos falsos comprando essas merdas, mas para as pessoas que realmente gostam de heavy metal, thrash é música do homem pensante. Eles tentam e estigmatizam as pessoas do metal e as fazem parecer estúpidas. Quando eu fui para a Casa Branca nos anos 90 [como parte da campanha Rock the Vote], muitas pessoas pensaram, 'bem, ele não vai ser muito inteligente', e ao contrário, eu fui bem articulado."

Em como a chegada do grunge no começo dos anos 90 afetou a cena do thrash metal:

Scott Ian (Anthrax): "Quando o 'rock alternativo' surgiu nos anos 90, nós ficamos tipo, 'eles estão o tempo todo na MTV, como diabos eles são alternativos? Nós somos os alternativos!'"

Sobre o porque do mal falado álbum do Metallica de 2003, "St. Anger", precisou ser feito:

Kirk Hammett (Metallica): "Ele nos impediu de acabarmos - nós tínhamos algo para focar, e ele nos manteve juntos como uma unidade. Nós sempre aproveitamos as oportunidades e muitas das vezes acabamos no lado errado das faixas. Mas nós nunca fizemos um disco de rap metal, graças a Deus."

Sobre como o "Death Magnetic" do Metallica e o "Christ Illusion" do Slayer se tornaram os discos de maior sucesso comercial e crítico das duas bandas em mais de uma década:

Kerry King (Slayer): "Entre 1985 e 1990, todos estavam soltando ótimos discos. E aqui estamos nós fazendo isso de novo."

Sobre os "Big Four" dividirem o palco pela primeira vez:

Scott Ian (Anthrax): "Se você olhar para trás pelos últimos 40 anos, você não consegue encontrar outras quatro bandas que poderiam fazer isto. Nós estamos todos aqui e podemos fazer isso - é espetacular."

Sobre estar em paz com seu passado e finalmente fazer as pazes com o Metallica:

Dave Mustaine (Megadeth): "No backstage, James [Hetfield, frontman do Metallica] e eu estávamos falando, e abraçando um ao outro, e nos desculpando pelas coisas que fizemos um ao outro no passado. E Lars [Ulrich, baterista do Metallica] e eu estávamos falando sobre sair para jantar. Quem pensaria que isto aconteceria? Mas aqui estamos, detonando e acabando com as coisas em nome do heavy metal."

Death Magnetic certificado disco duplo de platina

O último álbum do Metallica, "Death Magnetic", foi oficialmente certificado como disco duplo de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA) em 28 de Junho de 2010, por vendas superiores a dois milhões de cópias nos EUA.

No Brasil, o disco obteve disco de ouro, por vendas superiores a 50 mil cópias vendidas em território nacional.

20/07/2010

Turnê dos Big Four nos EUA?

Os planos do Metallica de criar um equivalente ao The Wall do Pink Floyd podem ter sido deixados de lado, após o sucesso dos recentes festivais Sonisphere contando com os Big Four do thrash metal.

"Vamos só dizer que no próximo ano, vocês verão uma turnê do Metallica que detonará suas mentes", disse Mensch, empresário do Metallica, anteriormente.

"Eles tocarão apenas em 10 cidades, mas será algo gigante. Será o equivalente do Metallica para o The Wall."

No entanto, Lars Ulrich disse agora a Classic Rock que mais shows dos Big Four - contando com Metallica junto do Slayer, Megadeth e Anthrax - podem acontecer.

"Há muitas coisas excitantes acontecendo na mente de Peter Mensch e algumas vezes elas não são facilmente compreendidas pelas pessoas ao redor dele", disse o baterista do Metallica.

"Mas a vibração nessa coisa [a turnê dos Big Four] é tão grande, que seríamos estúpidos de ignorá-la. Você sabe no seu iPhone, você pode mover os mapas de clima pra cima e pra baixo? Bem, o Big For está movendo rapidamente para cima em termos de ocorrências em potencial para os próximos anos."

Mesmo assim, o sucesso dos Big Four não significa que o Metallica abandonou completamente seus próprios planos de uma turnê de larga escala.

"Nós temos tidos algumas idéias sobre fazer algumas coisas que - como devo dizer - são bem teatrais, essa provavelmente é a melhor forma de dizer isto", confirmou.

"No começo, antes de começarmos a tocar no centro, que nós fizemos na turnê do álbum preto, nós estávamos obviamente inspirados pela grande escala dos shows do Iron Maiden e assim por diante."

"A idéia seria para nós, potencialmente, tentarmos algo teatral de novo. Seria um pouco daquelas coisas diferentes que nós já fizemos, como na turnê do ...And Justice For All, que a estátua da Lady Justice se quebrava no final de cada show."

"Nós podemos incorporar muitas idéias diferentes, ao invés de uma coisa em particular. Seria uma multitude de elementos teatrais, talvez como uma idéia para uma turnê única ou algo assim."

Mas acima de tudo, a mente de Ulrich está aproveitando um tempo de descanso merecido.

"Nós começamos em Maio de 2008, então temos que ir e descansar em breve! Nós iremos para Austrália, Japão e Nova Zelândia no Outono, então vamos tomar um pouco de fôlego porque nessa época estaremos há dois anos e meio na estrada."

"Então eu tentaria fazer isto [a turnê dos Big Four] em 2011 ou 2012, obviamente na Inglaterra e Estados Unidos. É só uma questão de logística. Eu não acho que há ninguém envolvido que considere uma data garantida para isto."

"Mas aqui está a coisa: em 20 de Novembro meu traseiro vai pra casa. Eu vou sentar em casa, e eu sei que os outros caras da banda vão fazer a mesma coisa. Eu diria que nós vamos tirar pelo menos seis meses de descanso e não fazer nada, e então em algum momento da primavera ou verão de 2011, começaremos a pensar no que fazer."

19/07/2010

Fã que ajudou a levar Metallica a Christchurch fica sem ingresso

Segundo a Stuff.co.nz, o homem de Blenheim, Nova Zelândia, cujo abaixo-assinado ajudou a levar o Metallica até Christchurch está "absolutamente devastado" por não ter conseguido um ingresso.

Jamie Woods disse que ele não pode ir até Christchurch na última quinta-feira para comprar seu ingresso nas bilheterias, e também não foi rápido o suficiente para comprá-lo pela internet.

"Eu estou absolutamente devastado... Mas estou conformado com o fato de que eu não irei", disse ele.

"No final eu consegui o que eu queria, que era traze-los para cá. Eu espero que todos estejam felizes, esses sortudos."

16/07/2010

Metallica no DJ Hero 2

A produtora Activision revelou a lista oficial de artistas que terão suas músicas mixadas no game “DJ hero 2”, que tem previsão para chegar às lojas norte-americanas em outubro. Além da extensa lista de músicos de diversos gêneros, o game permitirá que dois jogadores utilizem suas pick-ups e que outro possa cantar.

O título trará novas modalidades para diversos jogadores como confrontos de DJs que terão músicas específicas. Os fãs aguardam para poder jogar o modo Freestyle, que permitirá mixar as canções livremente. O modo principal contará a história de um DJ em início de carreira que deve subir na vida e se tornar um grande artista.

Veja a lista completa de artistas que estarão em “DJ hero 2”:
- 2Pac
- 50 Cent
- Adamski
- Afrika Bambaataa & The Soul Sonic Force
- Armand Van Helden
- A-Trak
- B.o.B.
- Basement Jaxx
- BlakRoc
- Bobby Womack
- Bruno Mars
- Busta Rhymes
- Calvin Harris
- Chamillionaire
- Chic
- Chris Willis
- Clinton Sparks
- Colby O'Donis
- Daft Punk
- Damian Marley
- David Guetta
- Deadmau5
- Deee-Lite
- Dillinja
- Diplo
- Dizzee Rascal
- DJ Shadow
- Donna Summer
- Dr. Dre
- Drake
- Edwin Starr
- Eminem
- Estelle
- Flo Rida
- Gorillaz
- Grandmaster Flash & The Furious Five
- Harold Faltermeyer
- House Of Pain
- Iyaz
- Jackson 5
- Janet Jackson
- Justice
- Kanye West
- Kaskade
- Kelis
- Keri Hilson
- Kid Cudi
- Kool & The Gang
- Lady Gaga
- Lil Jon
- Lil Wayne
- LL Cool J
- M.I.A.
- M|A|R|R|S
- Major Lazer
- Malcolm McLaren
- Mase
- Melle Mel & Duke Bootee
- Metallica
- Missy Elliott
- Mos Def
- MSTRKRFT
- N.O.R.E.
- Nas
- Nate Dogg
- Naughty By Nature
- Nelly
- New Boyz
- New Order
- Newcleus
- Nightcrawlers
- Orbital
- Pharoahe Monch
- Pirate Soundsystem
- Pitbull
- Puff Daddy
- Pussycat Dolls
- Rihanna
- Robin S.
- RZA
- Salt N Pepa
- Sam Cooke
- Sam Sparro
- Sean Paul
- Skibadee
- Sneaky Sound System
- Snoop Dogg
- Snow
- Soulja Boy Tell Em
- Sparfunk & D-Code
- Static Major
- Stevie Wonder
- Talib Kweli
- The Chemical Brothers
- The Crystal Method
- The Egg
- The Notorious B.I.G.
- The Prodigy
- Tiësto
- Tiga
- Timbaland
- Tweet
- Walter Murphy
- Warren G
- Wayne Smith
- Will. I. Am
- Yeah Yeah Yeahs
- Young Jeezy

Ulrich: "As coisas estão bem fáceis e agradáveis"

Cameron Adams do Herald Sun entrevistou recentemente o baterista do Metallica, Lars Ulrich. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

Sobre a batalha do Metallica, em 2000, contra o Napster, o principal serviço de compartilhamento de arquivos na época:

Lars Ulrich: "É parte do legado, por bem ou por mal. A melhor coisa que você pode fazer é tentar fazer com que as pessoas entendam que você está no ponto de que está confortável em rir um pouco disso. Não foi muito divertido 10 anos atrás... Eu não vou te enganar, foi uma época bem difícil. É algo que ainda me deixa um pouco desconfortável. Foi impressionante como nós fomos pegos por essa coisa toda."

Sobre o impacto negativo que o compartilhamento de arquivos teve em todos os setores da indústria musical:

Lars Ulrich: "Enquanto você vê declínio de todos esses modelos que existiam por décadas, eu não acho nada glorioso dar tapinhas nas nossas costas dizendo, 'olhe, nós estávamos certos'. Outras pessoas dizem isso. Eu tento não dizer muito sobre isso. Eu não vejo glória nisso. É parte do declínio de tanta coisa."

"Certamente não tanto a gente, mas muitas pessoas perderam seus empregos e suas habilidades de depender da música para suas rendas, para suas vidas. Outras bandas tem dificuldade de continuar por causa da falta de dinheiro para equipamento ou gravação. As gravadoras estão assinando com menos bandas e colocando menos dinheiro para elas."

Sobre ser anti-internet:

Lars Ulrich: "Nós somos responsáveis por cerca de 10% do lucro da Apple todo ano - nossa casa é um santuário do Steve Jobs sem dúvida."

Sobre o filme "Some Kind of Monster", que mostra a gravação do álbum "St. Anger", a luta do vocalista James Hetfield na reabilitação e a contratação do terapeuta Phil Towle:

Lars Ulrich: "Toda vez que eu vejo Noel Gallagher [Oasis], ele cita mensagens do filme para mim. Essa coisa ganhou vida própria. Eu tive que viver essa merda por três anos! A coisa toda foi assustadora."

"Eu sei que vários outros músicos parecem ter vividos muitos desses momentos. Eles não foram necessariamente estúpidos o suficiente para filmá-los como fomos e compartilha-los com o resto do mundo."

"A dinâmica interna nesta banda é tão radicalmente diferente agora, é difícil de relacionar com esse filme atualmente. É uma sensação de terceira pessoa. Se eu vejo um trecho dele ou penso sobre isso, é mais como algo que aconteceu com outra pessoa."

Sobre ter seu próprio jogo, uma versão dedicada do "Guitar Hero":

Lars Ulrich: "É bem legal ter seu próprio jogo quando você tem filhos com 8 e 11 anos, isso ajuda no fator de pai legal. Eu sentei e joguei 'Guitar Hero: Metallica' com meus filhos, não é ruim. Sempre é bom te dar mais cabelo e uns músculos a mais."

Sobre o apelo do Metallica na nova geração:

Lars Ulrich: "Muitas crianças estão se animando com nossas coisas por causa dos pais que cresceram com a gente. De alguma forma as músicas dos anos 80 - Metallica e Megadeth e Slayer e coisas dos anos 70 como Thin Lizzy e Deep Purple e Black Sabbath - elas parecem ter uma relevância com as crianças atualmente. Elas parecem se conectar com isso."

"Olha para os anos 90, o rap rock, nu metal e grunge. Muitas dessas coisas tiveram mais elementos comerciais. Eu estou generalizando aqui. Obviamente o Nirvana foi uma ótima banda, Alice in Chains, Soundgarden, Pearl Jam - sensacional - mas todas as coisas nessa época tinham uma vibração mais de produto. Para cada Kid Rock e Limp Bizkit, haviam 100 clones."

"Muito do hard rock dos anos 80 e 70 se mantiveram e sobreviveram da mesma forma que muitas das coisas dos anos 90 sumiram."

Sobre estar aliviado de que não há mais intrigas entre ex-membros do Metallica:

Lars Ulrich: "Nós passamos por coisas demais. É isto que sobrevive; toda a falação de merda cai pros lados. Não tem perna própria. Se torna momentâneo. A experiência que você passou fazendo música dura para sempre."

Sobre como, depois de 30 meses na estrada, os fãs não devem esperar pelo sucessor do "Death Magnetic" em breve:

Lars Ulrich: "Há uma boa vibração na banda agora, todos estão se divertindo e se dando bem. As coisas estão bem fáceis e agradáveis. Eu sei que não soa muito rock and roll, mas me surpreenderia se passar um ano antes que comecemos a fazer um novo álbum."

"Eu acho que nós teremos de três a seis meses de descanso. Há uma boa chance que demore menos que nos ciclos anteriores. Mas eu já me ouvi dizendo isso em entrevistas antes..."

Sobre o Metallica estar celebrando sua terceira década:

Lars Ulrich: "Trinta anos é uma grande conquista para uma banda como nós, que acabou se esgotando umas três vezes durante os anos."

"O fato de ainda estarmos de certa forma funcionando e não só colocando sentenças juntas mas tocando música é obviamente um tipo de conquista que deve ser celebrado."

"Eu não tenho certeza se isso deveria ser feito em público ou com uma reza quieta em casa."

"Eu tenho certeza que algo surgirá. Algo sempre surge. Nós não somos muito bons em ficarmos sentados em casa."

15/07/2010

Ingressos da Nova Zelândia se esgotam em 5 minutos

Segundo a Stuff.co.nz, os ingressos para o primeiro de dois shows do Metallica em Christchurch, Nova Zelândia, se esgotaram em cinco minutos nesta manhã.

Os ingressos para os dois shows da banda de heavy metal em Christchurch foram a venda para o público em geral a partir das 9:00 AM de hoje. O show de quarta-feira, 22 de Setembro, também teve seus ingressos esgotados pouco depois deles irem a venda.

Os fãs lutaram contra o frio e acamparam durante a noite para garantir ingressos da banda, que tocou pela última vez no país em 2004, no Big Day Out.

14/07/2010

Edição especial do Kill 'Em All

O site do fã-clube internacional do Metallica, o MetClub, foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do vinil vermelho do Kill 'Em All:

A Warner Bros. Records e o MetClub.com disponibilizarão para compra a edição luxuosa em vinil vermelho do Kill 'Em All! Esta edição limitada em vinil vermelho virá em dois discos de 180 gramas, com 45 RPM e foi masterizada a partir das fitas originais analógicas na Mobile Fidelity para a experiência auditiva definitiva! Apenas 1000 cópias deste set especial foram prensadas e nunca foram lançadas para as lojas.

O Kill 'Em All em vinil vermelho irá a venda quinta-feira, 15 de Julho, as 5:00 PM (Horário de Brasília) na MetStore, assim como na BecauseSoundMatters.com exclusivamente. Apenas uma cópia por membro, então não se atrase! Garante logo este ítem de colecionador antes que eles se esgotem.

Anteriormente, o Metallica já havia lançado edições especiais e remasterizadas, em vinis brancos, dos álbuns Death Magnetic (limitado em 50 cópias), álbum preto (limitado também em 50 cópias) e Load (limitado em 100 cópias).

Circuito definitivo de cidades da reapresentação do Big Four

A MovieMobz divulgou o circuito definitivo de cidades que retransmitirão os shows dos Big Four do thrash metal - Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax - nos próximos dias 23 e 24 de Julho, em cinemas de todo o Brasil. Os ingressos custam entre 30 e 40 reais e já estão disponíveis através do site Ingresso.com.

Confira abaixo a lista de cidades e seus respectivos cinemas:

O fim da linha...

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do fim do anúncio de mais shows da World Magnetic Tour:

Prezados amigos:

Nós estamos tão animados em acrescentar um segundo show em Christchurch, Nova Zelândia no CBS Canterbury Arena em 21 de Setembro... Obrigado de novo por pedir que nós te visitemos aí!!

Agora a razão real de que estamos aqui, tomando espaço neste site... Nós queremos anunciar que todas as nossas datas de shows estão completas com a adição deste show... É isso mesmo, meninos e meninas, esta será a última data adicionada a turnê World Magnetic! Então se você está esperando que a gente vá até as calotas polares, seu planeta desconhecido ou até seu porão, sinto muito, isso é o máximo que conseguirá.

Tem sido uma corrida bem longa e bem divertida. O número de shows tocados depende de quando você começa a contar. Nós vamos com o que os caras da banda dizem, pois eles tem estado na estrada mais ou menos continuamente desde Maio de 2008 e isto nos dá um total de 212 shows em 153 cidades. Cada uma delas foi memorável e especial e nós agradecemos vocês por isso. Aqui é onde nós poderíamos cuspir um monte de números loucos para vocês... Sabe, os 2,3 milhões de ingressos vendidos, 300 milhões de milhas viajadas, os 1360kg de bacon consumidos, mas vocês não ligam para essas coisas e francamente, nós também não. O que nós SIM nos importamos é fazer com que vocês saibam a imensa gratidão que sentimos por todo seu amor e apoio durante estes últimos dois anos e meio. Quando nós embarcamos neste jornada "magnética", nenhum de nós nunca, nem em nossos sonhos mais loucos, imaginamos o quão verdadeiramente incrível seria e é tudo por estar com VOCÊS!

É óbvio que ainda não terminou, então não vamos ficar tão sentimentais aqui... Estamos indo para Austrália, Nova Zelândia e Japão neste Outono para aquilo que prometem ser os shows mais altos e loucos!

09/07/2010

Lamb of God e Baroness abrindo shows da Oceania

O Lamb of God e Baroness abrirão para o Metallica nas seguintes datas na Nova Zelândia e Austrália:

Outubro 13 - Auckland, Nova Zelândia - Vector Arena
Outubro 14 - Auckland, Nova Zelândia - Vector Arena
Outubro 16 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 18 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 19 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 22 - Perth, Austrália - Burswood Dome
Outubro 23 - Perth, Austrália - Burswood Dome
Novembro 10 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 11 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 13 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 15 - Hindmarsh, Austrália - Adelaide Entertainment Centre Theatre
Novembro 16 - Hindmarsh, Austrália - Adelaide Entertainment Centre Theatre
Novembro 18 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Novembro 20 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Novembro 21 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena

Down: "O Metallica são caras comuns que por acaso são ricos"

O Metalgeek realizou uma entrevista com o guitarrista/vocalista Kirk Windstein (Crowbar, Down, Kingdom of Sorrow) quando o Crowbar tocou em Viena, Áustria em 5 de Julho de 2010. Na conversa, Windstein falou um pouco sobre como foi sair com Metallica, quando abriram para o grupo em 2008.

"Eu os conheci há muito tempo atrás e James [Hetfield] é um fã de Down desde o começo", disse Windstein. "C.O.C. abriu para o Metallica, então Pepper [Keenan, guitarrista do C.O.C. e do Down) conhece bem o James. Depois do show, James vinha ao nosso vestiário, algumas vezes ele até trazia sua esposa e filhos, mas neste caso, ele garantia que ninguém estava fumando nada... Eu acho que ele é um bom pai, isso é ótimo. Lars [Ulrich] e Robert [Trujillo] nos convidaram para seus vestirários depois do show e James também estava lá, mas como ele tem estado sóbrio nos últimos anos, ele saia depois de um tempo - você precisa respeita-lo por isso. Sendo uma das maiores bandas do planeta, os caras do Metallica são bem legais, bem pé no chão. Eles são caras comuns que por acaso são... ricos. (risos)"

07/07/2010

Ulrich: "No momento o principal é não ter um ataque do coração no palco"

O baterista do Metallica, Lars Ulrich, foi entrevistado recentemente para o site do festival Sonisphere. Alguns trechos da conversa podem ser lidos abaixo.

Q: O Metallica trilhou um longo caminho desde seus dias de thrash underground nos anos 80. Como vocês gerenciaram a transição para megastars?

Lars: O Metallica sempre se manteve firme e tocou o tipo de música que nos excitava e em nos animar, parece que nós animamos muitas pessoas também. Com o decorrer dos anos, os números aumentaram, nós vendemos mais e mais discos, nós atingimos mais e mais pessoas e agora nós tocamos em lugares maiores. Mas no fundo, são só quatro caras se divertindo e tocando música e compartilhando com as pessoas que gostam tanto quanto a gente. Seja 100 pessoas ou 100 mil, é mais ou menos a mesma atitude. De vez em quando nós voltamos e tocamos em lugares realmente pequenos. Nós tocamos em um festival nos EUA alguns anos atrás chamado Bonnaroo e na noite anterior nós tocamos em um porão de uma loja de discos para cerca de 150 pessoas, então nós ainda fazemos esse tipo de coisa.

Q: Como seus fãs mudaram durante os anos?

Lars: Os públicos e os fãs parecem se tornar cada vez mais jovens. Em alguns países você olha para a primeira fileira e estão crianças de 10, 12 anos que nunca viram o Metallica antes. Parece que há uma geração toda nova. Talvez seja nossa geração que esteja trazendo seus filhos, mas há esta teoria de que muitas das crianças estão se inspirando muito nos anos 80, enquanto muitas coisas que aconteceram nos anos 90 como o grunge e rap-rock e por assim em diante, talvez não tenha soado tão bem para esta geração mais nova. Parece que muitas das bandas mais pesadas dos anos 80 e até dos anos 70, como Black Sabbath, Deep Purple, Led Zeppelin tiveram um impacto diferente com muitas das crianças. Obviamente é incrível ser parte disso e uma verdadeira honra ter este tipo de impacto nas crianças que estão começando a caminhar.

Q: Seu baixista Rob [Trujillo] está sempre experimentando com novas técnicas. Que novas técnicas vocês estão trabalhando?

Lars: Há algum número menor que zero? Não, eu acho que no momento a coisa principal é não ter um ataque do coração no palco. Esse é o novo objetivo. Eu tenho 46 anos e a coisa principal que eu faço é tentar e se manter saudável. Eu como bem, malho, corro e tento e me mantenho na melhor forma possível. Eu não acordo e começo a tocar bateria. Eu estou mais interessado em músicas e compor e eu amo fazer discos e o lado da produção disso. Eu definitivamente faço o que tenho que fazer para manter alguma habilidade em tocar bateria, mas principalmente tem a ver com se manter saudável, cuidar de mim mesmo e então só esperar pelo James Hetfield para me inspirar.

Q: Você aparecereu no "The Simpsons" e no "South Park" antes, mas você fez sua primeira aparição em um filme, "Get Him To The Greek". Como isso surgiu?

Lars: Eu recebi um telefonema do empresário falando que as pessoas que fizeram o "Forgetting Sarah Marshall" estavam fazendo um filme novo com algumas das mesmas pessoas e eles perguntaram se eu estaria interessado em atuar como eu mesmo. "Forgetting Sarah Marshall" é na verdade um dos meus filmes favoritos dos últimos anos. Eu achei ele muito bem escrito, muito bem dirigido e a turma envolvida nele é ótima, então eu achei que seria interessante ser parte disso. Então eu voei para Los Angeles e fiz como me falaram por dois dias. É sempre divertido entrar em outras áreas e mundos que são desconhecidos. O mundo do Metallica e o mundo da música nós conhecemos tão bem e nós controlamos todos os elementos dele. Você entra num set de filmagem, você tem que fazer como é mandado e fazer com um sorriso e atuar junto. É divertido para perder o controle e só pegar carona.

Q: A internet mudou muito desde sua disputa com o Napster há 10 anos. Dito isso, você teria lidado de forma diferente?

Lars: Eu teria acordado do pesadelo antes. Eu acho que se teve algo, é que nós fomos pegos de surpresa sobre o quão passionais as pessoas eram com esse fenômeno todo de internet na época e meio que nos colocou um cabresto, mas marcamos nosso território e nos mantivemos firmes com nossos princípios e agora muitas pessoas estão dando tapinhas em nossas costas e falando o quão certo estávamos. Onde vocês estavam há 10 anos? Nós éramos os únicos por aí é o que eu diria. Mas está tudo bem - você ganha algumas, perde outras. Eu não me arrependo de nada disso. Certamente, foi uma época estranha já que sempre fomos os caras bons e de repente havia gente que não achava que éramos os caras bonzinhos, e foi uma situação diferente para nós.

06/07/2010

Mais um show na Nova Zelândia

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, adicionando mais uma data de show na Nova Zelândia, em 22 de Setembro:

Vocês pediram (tá certo, exigiram!) e nós te ouvimos. Quando ficamos a par dos vários abaixo-assinados para irmos a Christchurch, Nova Zelândia, nós precisávamos conferir... E uau, o número de pedidos era incrível! Então, a moral da história é tomar cuidado com o que pedem... Porque o Metallica está indo para sua cidade em 22 de Setembro no CBS Canterbury Arena!

E aqui está a pegadinha - nosso time de produção examinou durante as últimas semanas e não importa o quanto tentássemos reconfigura-lo, no final o CBS Canterbury Arena não está equipado para receber o palco central do show do "Death Magnetic" que temos levado ao redor do mundo nesta turnê. Isso não vai nos parar, mas nós queremos alertar que não poderemos levar o setup completo que vocês devem ter vistos em fotos no site ou verão se forem em outro show na Nova Zelândia ou Austrália. Será nós e VOCÊS, estilo old-school em uma arena fazendo muito barulho juntos, e é isso que conta.

Os ingressos irão a venda em 15 de Julho as 9:00 AM com a pré-venda da MyTKT começando 13 de Julho ao meio dia. Membros do fã-clube devem conferir www.metclub.com para informações sobre uma pré-venda especial para eles começando em 9 de Julho.

Obrigado a todos pelo amor e apoio... Nos vemos em Setembro!

Mustaine: "Uma turnê Megadeth/Metallica seria ótimo"

O webzine Stormbringer.at da Áustria realizou uma entrevista com o líder do Megadeth, Dave Mustaine, durante a passagem da banda por Viena em 1 de Julho de 2010. Confira o vídeo da conversa abaixo e a transcrição traduzida de alguns trechos:

Sobre a turnê "Big Four" [contando com Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax] ser algo especial para ele ou se é apenas "mais uma turnê do Megadeth":

Mustaine: "Claro que é especial. É histórico. É algo que muda a vida de muitas pessoas que estiveram lá. E eu acho que o direito de falar das pessoas que realmente testemunharam isso contra a alguém que viu isso no YouTube ou viu em uma sala de cinema ou verá no DVD quando sair... Eles não estiveram lá. Então ver de verdade foi algo fantástico. Ficar no palco onde eu estava [durante a jam dos Big Four no festival Sonisphere em Sofia, Bulgária, em 22 de Junho], ser capaz de olhar para os lados, de qualquer lado ser rodeado por tremendo talento, foi ótimo. É uma dessas coisas que no momento não parece tão grande quanto realmente é. Depois do fato, você olha para trás e fica... Sabe quando você sobrevive a um acidente de carro, você não pensa que é algo importante até que vê em câmera lenta, você pensa, 'oh, meu Deus, eu não acredito que eu sobrevivi'. Então subir no palco foi realmente incrível. Especialmente quando você olha para trás e vê como todos estavam se abraçando e como eu penso nisso... Se você estivesse lá, você ouviria quando, entre todos os adeus e tudo no final, quando James [Hetfield, do Metallica] e eu nos abraçamos, a platéia inteira foi a loucura, porque é isto que eles estavam esperando. É o que eu acho que James e eu estávamos esperando também, então é uma boa coisa."

Sobre se a turnê do Big Four ir aos Estados Unidos:

Mustaine: "Isto depende do Metallica, porque eu acho que é bem óbvio, para mim... Não precisa ser o "Big Four" para mim para tocar com James e Lars [Ulrich, baterista do Metallica]. Eu acho que se a turnê do Big Four nos EUA não acontecer, certamente uma turnê Megadeth/Metallica seria ótimo - seja só nós dois ou se tivermos uma banda de abertura ou algo assim. Mas sim, eu acho que foi realmente divertido pelo que representamos no heavy metal. Eu e James somos como os "grandes pais" desta coisa toda - nós fomos os dois guitarristas que colocamos as rodas para girar quando as primeiras fitas foram feitas pelo Metallica. Eu acho que é bem animador agora olhar para trás e ver todos os milhões de bandas que foram criadas a patir do que eu e James fizemos sentados em uma sala em Norwalk [Califórnia]."

02/07/2010

Cinemas reapresentam The Big Four no final de Julho

Segundo matéria do G1, as reapresentações da transmissão dos shows dos Big Four do thrash metal dos anos 80 - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax - que aconteceram no último dia 22 de Junho em Sofia, Bulgária, foram reagendadas para os dias 23 e 24 de Julho.

O circuito final será divulgado no dia 9, quando começam as vendas antecipadas de ingressos e os preços variam entre R$ 30 e R$ 40.

No dia 22 de Junho, as bandas se apresentaram em Sofia, na Bulgária, no quarto show — de um total de sete — da inédita turnê, dentro do festival itinerante Sonisphere. A apresentação teve transmissão para cerca de 800 salas de cinema, em 31 países, na América do Norte, Europa e América Latina. No Brasil, o show ganhou sessões no Rio, São Paulo, Brasília, Salvador e Santos.

Os "quatro grandes" tocaram desde clássicos até músicas mais recentes de seus repertórios, com destaque para o bis do Metallica, quando integrantes de todas as bandas (com exceção dos guitarristas do Slayer) subiram juntos ao palco para apresentar “Am I evil?”, do Diamond Head.

01/07/2010

Metallica indicado ao Golden Joystick Awards

Segundo a Glasswerk.co.uk, o Metallica foi indicado na categoria de "Jogo Musical do Ano" na maior premiação de video games do mundo, o Golden Joystick Awards. O "Guitar Hero: Metallica" enfrentará competição forte contra os populares "The Beatles: Rock Band" e "Guitar Hero: Van Halen".

Todas as três bandas lançaram seus jogos nos últimos 12 meses e foram indicados junto de outros sete jogos relacionados a música.

A lista completa de indicados pode ser conferida abaixo:

* Guitar Hero: Metallica
* DJ Hero
* Guitar Hero on Tour: Modern Hits
* Guitar Hero 5
* The Beatles: Rock Band
* Guitar Hero Greatest Hits
* Band Hero
* Guitar Hero: Van Halen
* Just Dance
* Lego Rock Band

As categorias no Golden Joystick Awards são votadas pelos próprios gamers e a cerimônia de premiação acontecerá este ano em Londres, Inglaterra, no hotel Park Plaza Westminster Bridge em 29 de Outubro.

30/06/2010

Ulrich fala sobre atuar no Get Him To The Greek

O baterista do Metallica, Lars Ulrich, fez uma participação especial como ele próprio no filme "Get Him To The Greek", uma comédia americana dirigida por Nicholas Stoller e estrelando Russell Brand e Jonah Hill. O filme, que também foi escrito por Stoller, foi lançado em 4 de Junho.

A Artisan News Service falou com Ulrich sobre seu envolvimento no filme em sua estréia no dia 25 de Maio em Los Angeles, no Greek Theatre.

Quando perguntado sobre atuar no "Get Him To The Greek", Lars disse, "foi muito divertido. Quero dizer, eles enviaram o script e eu aprendi as falas. E quando eu apareci no set, nada disso importou - eles simplesmente pegaram o script e jogaram fora. Nós estávamos só improvisando e nos divertindo e nos insultando, e foi ótimo. Russell, obviamente, é um comediante de stand-up, primeiro de tudo, ou pelo menos ele começou em stand-up comedy, então é tudo improvisado."

Sobre ter dado dicas de rock-stars da vida real para os produtores do "Get Him To The Greek", Lars disse, "eles ficavam me perguntando se eu poderia dar dicas sobre como é de verdade, e eu tentei contar para eles, mas no meu mundo, a maioria das coisas que acontece é tão difícil de fazer com que as pessoas acreditem que realmente aconteceu, então eu acho que a maioria das coisas veio da cabeça deles."

Então Ulrich teve algum momento a la Aldous Snow em sua carreira?

"Eu tive vários momentos a la Aldous Snow, acredite", respondeu. "Mas eu vou dizer que o Metallica, felizmente, nunca foi o tipo de banda que... Nenhum de nós sumimos por dias ou acabamos na sargeta. Nós tivemos nossos momentos de loucura aqui e ali, mas sempre aparecemos na hora, mais ou menos, e tocamos nossos shows. Em 29 anos de Metallica, eu só faltei em um show, então não está mal."





Confira abaixo um trecho da participação de Ulrich no filme: