Tweet

Alguns videos !

Loading...

Pesquisar este blog

20/08/2010

Mustaine sobre o Metallica: "Nós somos amigos agora"

Chris Riemenschneider, do jornal americano Star Tribune, conduziu uma entrevista com o vocalista, guitarrista e principal compositor do Megadeth, Dave Mustaine, sobre sua recém-lançada autobiografia, "Mustaine: a Heavy Metal Memoir". confira abaixo alguns trechos da conversa.

Star Tribune: O livro lança uma luz diferente na sua demissão do Metallica. Você não pareceu tão irritado no filme "Some Kind of Monster". Ninguém pareceu, na verdade. Foi sua intenção acertar as contas?

Mustaine: "Não, não, não, essa não foi a intenção. Nós somos completamente amigos agora, temos sido por anos. Não há animosidade. É a imprensa que mantém a disputa viva. As pessoas ainda olham para as coisas baseando-se no que costumavam ser, mas nós éramos garotos naquela época. Não há mais nada lá."

Star Tribune: Mas ainda há, claramente, tensão no filme. Aquilo não foi um fator no processo de criação do livro?

Mustaine: "Basicamente, eu só queria contar aquela história sem machucar ninguém, e sem salvar minha própria pele prejudicando outras pessoas. Eu queria manter tudo, sabe, realmente divino na forma em que eu me conduzia. Eu acho que é por isso que essa coisa do Big Four pôde acontecer. James [Hetfield, vocal e guitarra do Metallica] e eu conversamos a respeito do passado. Eu me desculpei por algumas coisas, e ele se desculpou comigo. Nós tivemos uma experiência maravilhosa nessa aventura dos Big Four.

Star Tribune: Ainda há uma rivalidade saudável entre os Big Four ou entre vocês, Slayer e Testament?

Mustaine: "Eu realmente não quero falar de rivalidades. Há tantas coisas mais positivas para falarmos."

Star Tribune: Como isto aconteceu? Você também recuperou sua relação com [o baixista] Dave Ellefson.

Mustaine: "Quando eu machuquei o braço, olhei bastante para a minha alma. Eu não estava feliz com outras coisas na minha carreira. Eu tinha pessoas trabalhando para mim que não me ouviam, então eu demiti todos eles. Foi muito liberador, e o resultado foi que eu pensei em todas as outras pessoas com quem trabalhei. Não fiz muitas coisas das quais me arrependo para chegar onde estou na minha carreira, mas eu queria ter algumas segundas chances na forma como tratei algumas pessoas. Uma delas é o Gar Samuelson [baterista original do Megadeth], com quem eu gostaria de ter passado mais tempo antes que ele morresse. E outra é o Dave Ellefson, com quem estou de volta agora."

Nenhum comentário:

Postar um comentário