Alguns videos !

Loading...

Pesquisar este blog

28/07/2010

Metallica ajuda fã de Christchurch que ficou sem ingresso

O fã Jamie Woods de Blenheim, Austrália, chorou de alegria e foi ao fundo do poço nas últimas três semanas, mas um telefonema que achou que fosse uma brincadeira fez com que tudo isso valesse a pena.

Uma mulher da Q Prime, a empresa que gerencia o Metallica, telefonou para Woods no sábado, e disse que ele poderia ter dois ingressos para um dos shows de Christchurch no próximo mês.

Ele ficou de queixo caído quando a mulher disse a ele também que a banda gostaria de conhece-lo.

"Eu não chorei desta vez, congelei."

Ele pensou que a mulher estava passando um trote.

"Eu disse para ela, 'isso não é legal, você não pode fazer isso com alguém. É crueldade'."

No entanto, ele logo percebeu que ela não estava brincando.

"As pessoas ficaram me perguntando porque eu estava dançando como um palhaço."

Woods tem estado em uma montanha russa emocional desde que o Metallica anunciou neste mês que eles tocariam em Christchurch.

Ele foi um dos vários fãs que iniciaram uma campanha para levar o Metallica a Christchurch, embora sua contribuição tenha sido mais substancial do que a dos outros.

Ele organizou um abaixo-assinado, que foi distribuído na South Island em Maio e obteve 11.285 assinaturas em um único dia.

Ele caiu de joelhos e chorou quando ouviu que a banda estava indo a Christchurch, mas sua animação durou pouco, quando ele não conseguiu obter ingressos, que se esgotaram em menos de 30 minutos em 15 de Julho.

Woods tem ouvido os discos da banda desde que tem 5 anos, possui todos os CDs do grupo, incluindo duas cópias autografadas e algumas camisetas.

A turnê provavelmente seria a última do Metallica na Nova Zelândia, disse ele. "Significaria o mundo para mim."

Ele ainda não decidiu quem ele levará ao show em 21 de Setembro.

23/07/2010

Novo circuito de cinemas da retransmissão do Big Four


A MovieMobz, empresa responsável pela retransmissão dos shows dos Big Four no Brasil, divulgou o seguinte comunicado:

Devido a falhas operacionais na entrega do material digital do show , a reapresentação do Big Four marcada para hoje, 23, e amanhã, 24, teve algumas salas canceladas.

Os cinemas que seguem confirmados são:

Retransmissão do Big Four cancelada em diversos cinemas

O site do Cinemark foi atualizado com a seguinte informação, a respeito da retransmissão do show dos Big Four que aconteceria hoje e amanhã (23 e 24 de Julho) em todo o Brasil:

A distribuidora Movie Mobz não conseguiu disponibilizar a tempo o conteúdo do show “The Big Four”, programado para exibição hoje e amanhã. Por conta disso, e infelizmente, a Rede Cinemark não poderá exibir o filme em todos os cinemas programados. A Cinemark lamenta o ocorrido e esclarece que os clientes que adquiriram o ingresso na internet terão o valor da compra estornado automaticamente pela Ingresso.com em até dez dias úteis. Já no caso de compras realizadas na bilheteria dos complexos que não exibirão o show, os clientes devem ir ao cinema no qual a operação foi efetuada. Lá haverá um caixa exclusivo para a devolução do valor do ingresso. Nas praças onde o filme será exibido, os clientes que desejarem poderão assistir ao show em outro cinema da Rede, de acordo com a disponibilidade de assentos.

Cinemas que exibem o show:
- Pátio Savassi (BH)
- Floripa Shopping (Florianópolis)
- Praiamar Shopping (Santos)
- Shopping Interlagos (São Paulo)
- Shopping Vila Lobos (São Paulo)
- Shopping Pátio Higienópolis (São Paulo)
- Shopping Interlar Aricanduva (São Paulo)
- Grand Plaza Shopping (Santo André)
- Shopping Tamboré (Barueri)
- Park Shopping Barigui (Curitiba)
- Shopping Downtown (Rio de Janeiro)
- Novo Shopping (Ribeirão Preto)
- Iguatemi Brasília (Brasília)

Big Four fala sobre popularidade do thrash metal

Jamie Thomson do Guardian.co.uk entrevistou recentemente membros dos "Big Four" do thrash metal - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax - sobre a popularidade sempre viva do thrash e os recentes shows do festival Sonisphere contando com as quatro bandas. Alguns trechos podem ser conferidos abaixo.

Sobre o apelo contínuo do thrash metal:

Kirk Hammett (Metallica): "Ele conversa com a essência do núcleo da psique humana, cara. É verdade. Há uma batida e uma energia que conversa com você sem importar o seu passado cultural, idade, demografia. Se você ouvi-la e fizer uma conexão, está feito, cara, está nisso para o resto da vida."

Sobre o grande público presente nos shows do festival Sonisphere contando com os "Big Four":

Kerry King (Slayer): "O Metallica tira as pessoas das cavernas; todos vem para ve-los. O resto de nós somos só a cobertura de um bolo já destruidor."

Sobre o começo do thrash:

Scott Ian (Anthrax): "Nós éramos os renegados, e nós olhávamos para as bandas maiores e pensávamos, 'nós somos metal de verdade. Não vocês.' É tão estúpico quando eu penso sobre isso agora, mas eu entendo totalmente a mentalidade que tínhamos."

"As crianças podem crescer ouvindo Bon Jovi ou outra coisa, mas quando você chega aos 15 anos e elas simplesmente não querem mais isso - então elas começam a ouvir Anthrax e Metallica. E esta era nossa missão, fazer com que as crianças parassem de ir para o lado negro!"

Sobre a popularidade contínua do thrash metal:

Dave Mustaine (Megadeth): "Ainda há provavelmente pessoas fazendo glam metal e em algum lugar há um monte de meninas com peitos falsos comprando essas merdas, mas para as pessoas que realmente gostam de heavy metal, thrash é música do homem pensante. Eles tentam e estigmatizam as pessoas do metal e as fazem parecer estúpidas. Quando eu fui para a Casa Branca nos anos 90 [como parte da campanha Rock the Vote], muitas pessoas pensaram, 'bem, ele não vai ser muito inteligente', e ao contrário, eu fui bem articulado."

Em como a chegada do grunge no começo dos anos 90 afetou a cena do thrash metal:

Scott Ian (Anthrax): "Quando o 'rock alternativo' surgiu nos anos 90, nós ficamos tipo, 'eles estão o tempo todo na MTV, como diabos eles são alternativos? Nós somos os alternativos!'"

Sobre o porque do mal falado álbum do Metallica de 2003, "St. Anger", precisou ser feito:

Kirk Hammett (Metallica): "Ele nos impediu de acabarmos - nós tínhamos algo para focar, e ele nos manteve juntos como uma unidade. Nós sempre aproveitamos as oportunidades e muitas das vezes acabamos no lado errado das faixas. Mas nós nunca fizemos um disco de rap metal, graças a Deus."

Sobre como o "Death Magnetic" do Metallica e o "Christ Illusion" do Slayer se tornaram os discos de maior sucesso comercial e crítico das duas bandas em mais de uma década:

Kerry King (Slayer): "Entre 1985 e 1990, todos estavam soltando ótimos discos. E aqui estamos nós fazendo isso de novo."

Sobre os "Big Four" dividirem o palco pela primeira vez:

Scott Ian (Anthrax): "Se você olhar para trás pelos últimos 40 anos, você não consegue encontrar outras quatro bandas que poderiam fazer isto. Nós estamos todos aqui e podemos fazer isso - é espetacular."

Sobre estar em paz com seu passado e finalmente fazer as pazes com o Metallica:

Dave Mustaine (Megadeth): "No backstage, James [Hetfield, frontman do Metallica] e eu estávamos falando, e abraçando um ao outro, e nos desculpando pelas coisas que fizemos um ao outro no passado. E Lars [Ulrich, baterista do Metallica] e eu estávamos falando sobre sair para jantar. Quem pensaria que isto aconteceria? Mas aqui estamos, detonando e acabando com as coisas em nome do heavy metal."

Death Magnetic certificado disco duplo de platina

O último álbum do Metallica, "Death Magnetic", foi oficialmente certificado como disco duplo de platina pela Recording Industry Association of America (RIAA) em 28 de Junho de 2010, por vendas superiores a dois milhões de cópias nos EUA.

No Brasil, o disco obteve disco de ouro, por vendas superiores a 50 mil cópias vendidas em território nacional.

20/07/2010

Turnê dos Big Four nos EUA?

Os planos do Metallica de criar um equivalente ao The Wall do Pink Floyd podem ter sido deixados de lado, após o sucesso dos recentes festivais Sonisphere contando com os Big Four do thrash metal.

"Vamos só dizer que no próximo ano, vocês verão uma turnê do Metallica que detonará suas mentes", disse Mensch, empresário do Metallica, anteriormente.

"Eles tocarão apenas em 10 cidades, mas será algo gigante. Será o equivalente do Metallica para o The Wall."

No entanto, Lars Ulrich disse agora a Classic Rock que mais shows dos Big Four - contando com Metallica junto do Slayer, Megadeth e Anthrax - podem acontecer.

"Há muitas coisas excitantes acontecendo na mente de Peter Mensch e algumas vezes elas não são facilmente compreendidas pelas pessoas ao redor dele", disse o baterista do Metallica.

"Mas a vibração nessa coisa [a turnê dos Big Four] é tão grande, que seríamos estúpidos de ignorá-la. Você sabe no seu iPhone, você pode mover os mapas de clima pra cima e pra baixo? Bem, o Big For está movendo rapidamente para cima em termos de ocorrências em potencial para os próximos anos."

Mesmo assim, o sucesso dos Big Four não significa que o Metallica abandonou completamente seus próprios planos de uma turnê de larga escala.

"Nós temos tidos algumas idéias sobre fazer algumas coisas que - como devo dizer - são bem teatrais, essa provavelmente é a melhor forma de dizer isto", confirmou.

"No começo, antes de começarmos a tocar no centro, que nós fizemos na turnê do álbum preto, nós estávamos obviamente inspirados pela grande escala dos shows do Iron Maiden e assim por diante."

"A idéia seria para nós, potencialmente, tentarmos algo teatral de novo. Seria um pouco daquelas coisas diferentes que nós já fizemos, como na turnê do ...And Justice For All, que a estátua da Lady Justice se quebrava no final de cada show."

"Nós podemos incorporar muitas idéias diferentes, ao invés de uma coisa em particular. Seria uma multitude de elementos teatrais, talvez como uma idéia para uma turnê única ou algo assim."

Mas acima de tudo, a mente de Ulrich está aproveitando um tempo de descanso merecido.

"Nós começamos em Maio de 2008, então temos que ir e descansar em breve! Nós iremos para Austrália, Japão e Nova Zelândia no Outono, então vamos tomar um pouco de fôlego porque nessa época estaremos há dois anos e meio na estrada."

"Então eu tentaria fazer isto [a turnê dos Big Four] em 2011 ou 2012, obviamente na Inglaterra e Estados Unidos. É só uma questão de logística. Eu não acho que há ninguém envolvido que considere uma data garantida para isto."

"Mas aqui está a coisa: em 20 de Novembro meu traseiro vai pra casa. Eu vou sentar em casa, e eu sei que os outros caras da banda vão fazer a mesma coisa. Eu diria que nós vamos tirar pelo menos seis meses de descanso e não fazer nada, e então em algum momento da primavera ou verão de 2011, começaremos a pensar no que fazer."

19/07/2010

Fã que ajudou a levar Metallica a Christchurch fica sem ingresso

Segundo a Stuff.co.nz, o homem de Blenheim, Nova Zelândia, cujo abaixo-assinado ajudou a levar o Metallica até Christchurch está "absolutamente devastado" por não ter conseguido um ingresso.

Jamie Woods disse que ele não pode ir até Christchurch na última quinta-feira para comprar seu ingresso nas bilheterias, e também não foi rápido o suficiente para comprá-lo pela internet.

"Eu estou absolutamente devastado... Mas estou conformado com o fato de que eu não irei", disse ele.

"No final eu consegui o que eu queria, que era traze-los para cá. Eu espero que todos estejam felizes, esses sortudos."

16/07/2010

Metallica no DJ Hero 2

A produtora Activision revelou a lista oficial de artistas que terão suas músicas mixadas no game “DJ hero 2”, que tem previsão para chegar às lojas norte-americanas em outubro. Além da extensa lista de músicos de diversos gêneros, o game permitirá que dois jogadores utilizem suas pick-ups e que outro possa cantar.

O título trará novas modalidades para diversos jogadores como confrontos de DJs que terão músicas específicas. Os fãs aguardam para poder jogar o modo Freestyle, que permitirá mixar as canções livremente. O modo principal contará a história de um DJ em início de carreira que deve subir na vida e se tornar um grande artista.

Veja a lista completa de artistas que estarão em “DJ hero 2”:
- 2Pac
- 50 Cent
- Adamski
- Afrika Bambaataa & The Soul Sonic Force
- Armand Van Helden
- A-Trak
- B.o.B.
- Basement Jaxx
- BlakRoc
- Bobby Womack
- Bruno Mars
- Busta Rhymes
- Calvin Harris
- Chamillionaire
- Chic
- Chris Willis
- Clinton Sparks
- Colby O'Donis
- Daft Punk
- Damian Marley
- David Guetta
- Deadmau5
- Deee-Lite
- Dillinja
- Diplo
- Dizzee Rascal
- DJ Shadow
- Donna Summer
- Dr. Dre
- Drake
- Edwin Starr
- Eminem
- Estelle
- Flo Rida
- Gorillaz
- Grandmaster Flash & The Furious Five
- Harold Faltermeyer
- House Of Pain
- Iyaz
- Jackson 5
- Janet Jackson
- Justice
- Kanye West
- Kaskade
- Kelis
- Keri Hilson
- Kid Cudi
- Kool & The Gang
- Lady Gaga
- Lil Jon
- Lil Wayne
- LL Cool J
- M.I.A.
- M|A|R|R|S
- Major Lazer
- Malcolm McLaren
- Mase
- Melle Mel & Duke Bootee
- Metallica
- Missy Elliott
- Mos Def
- MSTRKRFT
- N.O.R.E.
- Nas
- Nate Dogg
- Naughty By Nature
- Nelly
- New Boyz
- New Order
- Newcleus
- Nightcrawlers
- Orbital
- Pharoahe Monch
- Pirate Soundsystem
- Pitbull
- Puff Daddy
- Pussycat Dolls
- Rihanna
- Robin S.
- RZA
- Salt N Pepa
- Sam Cooke
- Sam Sparro
- Sean Paul
- Skibadee
- Sneaky Sound System
- Snoop Dogg
- Snow
- Soulja Boy Tell Em
- Sparfunk & D-Code
- Static Major
- Stevie Wonder
- Talib Kweli
- The Chemical Brothers
- The Crystal Method
- The Egg
- The Notorious B.I.G.
- The Prodigy
- Tiësto
- Tiga
- Timbaland
- Tweet
- Walter Murphy
- Warren G
- Wayne Smith
- Will. I. Am
- Yeah Yeah Yeahs
- Young Jeezy

Ulrich: "As coisas estão bem fáceis e agradáveis"

Cameron Adams do Herald Sun entrevistou recentemente o baterista do Metallica, Lars Ulrich. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

Sobre a batalha do Metallica, em 2000, contra o Napster, o principal serviço de compartilhamento de arquivos na época:

Lars Ulrich: "É parte do legado, por bem ou por mal. A melhor coisa que você pode fazer é tentar fazer com que as pessoas entendam que você está no ponto de que está confortável em rir um pouco disso. Não foi muito divertido 10 anos atrás... Eu não vou te enganar, foi uma época bem difícil. É algo que ainda me deixa um pouco desconfortável. Foi impressionante como nós fomos pegos por essa coisa toda."

Sobre o impacto negativo que o compartilhamento de arquivos teve em todos os setores da indústria musical:

Lars Ulrich: "Enquanto você vê declínio de todos esses modelos que existiam por décadas, eu não acho nada glorioso dar tapinhas nas nossas costas dizendo, 'olhe, nós estávamos certos'. Outras pessoas dizem isso. Eu tento não dizer muito sobre isso. Eu não vejo glória nisso. É parte do declínio de tanta coisa."

"Certamente não tanto a gente, mas muitas pessoas perderam seus empregos e suas habilidades de depender da música para suas rendas, para suas vidas. Outras bandas tem dificuldade de continuar por causa da falta de dinheiro para equipamento ou gravação. As gravadoras estão assinando com menos bandas e colocando menos dinheiro para elas."

Sobre ser anti-internet:

Lars Ulrich: "Nós somos responsáveis por cerca de 10% do lucro da Apple todo ano - nossa casa é um santuário do Steve Jobs sem dúvida."

Sobre o filme "Some Kind of Monster", que mostra a gravação do álbum "St. Anger", a luta do vocalista James Hetfield na reabilitação e a contratação do terapeuta Phil Towle:

Lars Ulrich: "Toda vez que eu vejo Noel Gallagher [Oasis], ele cita mensagens do filme para mim. Essa coisa ganhou vida própria. Eu tive que viver essa merda por três anos! A coisa toda foi assustadora."

"Eu sei que vários outros músicos parecem ter vividos muitos desses momentos. Eles não foram necessariamente estúpidos o suficiente para filmá-los como fomos e compartilha-los com o resto do mundo."

"A dinâmica interna nesta banda é tão radicalmente diferente agora, é difícil de relacionar com esse filme atualmente. É uma sensação de terceira pessoa. Se eu vejo um trecho dele ou penso sobre isso, é mais como algo que aconteceu com outra pessoa."

Sobre ter seu próprio jogo, uma versão dedicada do "Guitar Hero":

Lars Ulrich: "É bem legal ter seu próprio jogo quando você tem filhos com 8 e 11 anos, isso ajuda no fator de pai legal. Eu sentei e joguei 'Guitar Hero: Metallica' com meus filhos, não é ruim. Sempre é bom te dar mais cabelo e uns músculos a mais."

Sobre o apelo do Metallica na nova geração:

Lars Ulrich: "Muitas crianças estão se animando com nossas coisas por causa dos pais que cresceram com a gente. De alguma forma as músicas dos anos 80 - Metallica e Megadeth e Slayer e coisas dos anos 70 como Thin Lizzy e Deep Purple e Black Sabbath - elas parecem ter uma relevância com as crianças atualmente. Elas parecem se conectar com isso."

"Olha para os anos 90, o rap rock, nu metal e grunge. Muitas dessas coisas tiveram mais elementos comerciais. Eu estou generalizando aqui. Obviamente o Nirvana foi uma ótima banda, Alice in Chains, Soundgarden, Pearl Jam - sensacional - mas todas as coisas nessa época tinham uma vibração mais de produto. Para cada Kid Rock e Limp Bizkit, haviam 100 clones."

"Muito do hard rock dos anos 80 e 70 se mantiveram e sobreviveram da mesma forma que muitas das coisas dos anos 90 sumiram."

Sobre estar aliviado de que não há mais intrigas entre ex-membros do Metallica:

Lars Ulrich: "Nós passamos por coisas demais. É isto que sobrevive; toda a falação de merda cai pros lados. Não tem perna própria. Se torna momentâneo. A experiência que você passou fazendo música dura para sempre."

Sobre como, depois de 30 meses na estrada, os fãs não devem esperar pelo sucessor do "Death Magnetic" em breve:

Lars Ulrich: "Há uma boa vibração na banda agora, todos estão se divertindo e se dando bem. As coisas estão bem fáceis e agradáveis. Eu sei que não soa muito rock and roll, mas me surpreenderia se passar um ano antes que comecemos a fazer um novo álbum."

"Eu acho que nós teremos de três a seis meses de descanso. Há uma boa chance que demore menos que nos ciclos anteriores. Mas eu já me ouvi dizendo isso em entrevistas antes..."

Sobre o Metallica estar celebrando sua terceira década:

Lars Ulrich: "Trinta anos é uma grande conquista para uma banda como nós, que acabou se esgotando umas três vezes durante os anos."

"O fato de ainda estarmos de certa forma funcionando e não só colocando sentenças juntas mas tocando música é obviamente um tipo de conquista que deve ser celebrado."

"Eu não tenho certeza se isso deveria ser feito em público ou com uma reza quieta em casa."

"Eu tenho certeza que algo surgirá. Algo sempre surge. Nós não somos muito bons em ficarmos sentados em casa."

15/07/2010

Ingressos da Nova Zelândia se esgotam em 5 minutos

Segundo a Stuff.co.nz, os ingressos para o primeiro de dois shows do Metallica em Christchurch, Nova Zelândia, se esgotaram em cinco minutos nesta manhã.

Os ingressos para os dois shows da banda de heavy metal em Christchurch foram a venda para o público em geral a partir das 9:00 AM de hoje. O show de quarta-feira, 22 de Setembro, também teve seus ingressos esgotados pouco depois deles irem a venda.

Os fãs lutaram contra o frio e acamparam durante a noite para garantir ingressos da banda, que tocou pela última vez no país em 2004, no Big Day Out.

14/07/2010

Edição especial do Kill 'Em All

O site do fã-clube internacional do Metallica, o MetClub, foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do vinil vermelho do Kill 'Em All:

A Warner Bros. Records e o MetClub.com disponibilizarão para compra a edição luxuosa em vinil vermelho do Kill 'Em All! Esta edição limitada em vinil vermelho virá em dois discos de 180 gramas, com 45 RPM e foi masterizada a partir das fitas originais analógicas na Mobile Fidelity para a experiência auditiva definitiva! Apenas 1000 cópias deste set especial foram prensadas e nunca foram lançadas para as lojas.

O Kill 'Em All em vinil vermelho irá a venda quinta-feira, 15 de Julho, as 5:00 PM (Horário de Brasília) na MetStore, assim como na BecauseSoundMatters.com exclusivamente. Apenas uma cópia por membro, então não se atrase! Garante logo este ítem de colecionador antes que eles se esgotem.

Anteriormente, o Metallica já havia lançado edições especiais e remasterizadas, em vinis brancos, dos álbuns Death Magnetic (limitado em 50 cópias), álbum preto (limitado também em 50 cópias) e Load (limitado em 100 cópias).

Circuito definitivo de cidades da reapresentação do Big Four

A MovieMobz divulgou o circuito definitivo de cidades que retransmitirão os shows dos Big Four do thrash metal - Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax - nos próximos dias 23 e 24 de Julho, em cinemas de todo o Brasil. Os ingressos custam entre 30 e 40 reais e já estão disponíveis através do site Ingresso.com.

Confira abaixo a lista de cidades e seus respectivos cinemas:

O fim da linha...

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito do fim do anúncio de mais shows da World Magnetic Tour:

Prezados amigos:

Nós estamos tão animados em acrescentar um segundo show em Christchurch, Nova Zelândia no CBS Canterbury Arena em 21 de Setembro... Obrigado de novo por pedir que nós te visitemos aí!!

Agora a razão real de que estamos aqui, tomando espaço neste site... Nós queremos anunciar que todas as nossas datas de shows estão completas com a adição deste show... É isso mesmo, meninos e meninas, esta será a última data adicionada a turnê World Magnetic! Então se você está esperando que a gente vá até as calotas polares, seu planeta desconhecido ou até seu porão, sinto muito, isso é o máximo que conseguirá.

Tem sido uma corrida bem longa e bem divertida. O número de shows tocados depende de quando você começa a contar. Nós vamos com o que os caras da banda dizem, pois eles tem estado na estrada mais ou menos continuamente desde Maio de 2008 e isto nos dá um total de 212 shows em 153 cidades. Cada uma delas foi memorável e especial e nós agradecemos vocês por isso. Aqui é onde nós poderíamos cuspir um monte de números loucos para vocês... Sabe, os 2,3 milhões de ingressos vendidos, 300 milhões de milhas viajadas, os 1360kg de bacon consumidos, mas vocês não ligam para essas coisas e francamente, nós também não. O que nós SIM nos importamos é fazer com que vocês saibam a imensa gratidão que sentimos por todo seu amor e apoio durante estes últimos dois anos e meio. Quando nós embarcamos neste jornada "magnética", nenhum de nós nunca, nem em nossos sonhos mais loucos, imaginamos o quão verdadeiramente incrível seria e é tudo por estar com VOCÊS!

É óbvio que ainda não terminou, então não vamos ficar tão sentimentais aqui... Estamos indo para Austrália, Nova Zelândia e Japão neste Outono para aquilo que prometem ser os shows mais altos e loucos!

09/07/2010

Lamb of God e Baroness abrindo shows da Oceania

O Lamb of God e Baroness abrirão para o Metallica nas seguintes datas na Nova Zelândia e Austrália:

Outubro 13 - Auckland, Nova Zelândia - Vector Arena
Outubro 14 - Auckland, Nova Zelândia - Vector Arena
Outubro 16 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 18 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 19 - Brisbane, Austrália - Brisbane Entertainment Center
Outubro 22 - Perth, Austrália - Burswood Dome
Outubro 23 - Perth, Austrália - Burswood Dome
Novembro 10 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 11 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 13 - Sydney, Austrália - Acer Arena
Novembro 15 - Hindmarsh, Austrália - Adelaide Entertainment Centre Theatre
Novembro 16 - Hindmarsh, Austrália - Adelaide Entertainment Centre Theatre
Novembro 18 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Novembro 20 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena
Novembro 21 - Melbourne, Austrália - Rod Laver Arena

Down: "O Metallica são caras comuns que por acaso são ricos"

O Metalgeek realizou uma entrevista com o guitarrista/vocalista Kirk Windstein (Crowbar, Down, Kingdom of Sorrow) quando o Crowbar tocou em Viena, Áustria em 5 de Julho de 2010. Na conversa, Windstein falou um pouco sobre como foi sair com Metallica, quando abriram para o grupo em 2008.

"Eu os conheci há muito tempo atrás e James [Hetfield] é um fã de Down desde o começo", disse Windstein. "C.O.C. abriu para o Metallica, então Pepper [Keenan, guitarrista do C.O.C. e do Down) conhece bem o James. Depois do show, James vinha ao nosso vestiário, algumas vezes ele até trazia sua esposa e filhos, mas neste caso, ele garantia que ninguém estava fumando nada... Eu acho que ele é um bom pai, isso é ótimo. Lars [Ulrich] e Robert [Trujillo] nos convidaram para seus vestirários depois do show e James também estava lá, mas como ele tem estado sóbrio nos últimos anos, ele saia depois de um tempo - você precisa respeita-lo por isso. Sendo uma das maiores bandas do planeta, os caras do Metallica são bem legais, bem pé no chão. Eles são caras comuns que por acaso são... ricos. (risos)"

07/07/2010

Ulrich: "No momento o principal é não ter um ataque do coração no palco"

O baterista do Metallica, Lars Ulrich, foi entrevistado recentemente para o site do festival Sonisphere. Alguns trechos da conversa podem ser lidos abaixo.

Q: O Metallica trilhou um longo caminho desde seus dias de thrash underground nos anos 80. Como vocês gerenciaram a transição para megastars?

Lars: O Metallica sempre se manteve firme e tocou o tipo de música que nos excitava e em nos animar, parece que nós animamos muitas pessoas também. Com o decorrer dos anos, os números aumentaram, nós vendemos mais e mais discos, nós atingimos mais e mais pessoas e agora nós tocamos em lugares maiores. Mas no fundo, são só quatro caras se divertindo e tocando música e compartilhando com as pessoas que gostam tanto quanto a gente. Seja 100 pessoas ou 100 mil, é mais ou menos a mesma atitude. De vez em quando nós voltamos e tocamos em lugares realmente pequenos. Nós tocamos em um festival nos EUA alguns anos atrás chamado Bonnaroo e na noite anterior nós tocamos em um porão de uma loja de discos para cerca de 150 pessoas, então nós ainda fazemos esse tipo de coisa.

Q: Como seus fãs mudaram durante os anos?

Lars: Os públicos e os fãs parecem se tornar cada vez mais jovens. Em alguns países você olha para a primeira fileira e estão crianças de 10, 12 anos que nunca viram o Metallica antes. Parece que há uma geração toda nova. Talvez seja nossa geração que esteja trazendo seus filhos, mas há esta teoria de que muitas das crianças estão se inspirando muito nos anos 80, enquanto muitas coisas que aconteceram nos anos 90 como o grunge e rap-rock e por assim em diante, talvez não tenha soado tão bem para esta geração mais nova. Parece que muitas das bandas mais pesadas dos anos 80 e até dos anos 70, como Black Sabbath, Deep Purple, Led Zeppelin tiveram um impacto diferente com muitas das crianças. Obviamente é incrível ser parte disso e uma verdadeira honra ter este tipo de impacto nas crianças que estão começando a caminhar.

Q: Seu baixista Rob [Trujillo] está sempre experimentando com novas técnicas. Que novas técnicas vocês estão trabalhando?

Lars: Há algum número menor que zero? Não, eu acho que no momento a coisa principal é não ter um ataque do coração no palco. Esse é o novo objetivo. Eu tenho 46 anos e a coisa principal que eu faço é tentar e se manter saudável. Eu como bem, malho, corro e tento e me mantenho na melhor forma possível. Eu não acordo e começo a tocar bateria. Eu estou mais interessado em músicas e compor e eu amo fazer discos e o lado da produção disso. Eu definitivamente faço o que tenho que fazer para manter alguma habilidade em tocar bateria, mas principalmente tem a ver com se manter saudável, cuidar de mim mesmo e então só esperar pelo James Hetfield para me inspirar.

Q: Você aparecereu no "The Simpsons" e no "South Park" antes, mas você fez sua primeira aparição em um filme, "Get Him To The Greek". Como isso surgiu?

Lars: Eu recebi um telefonema do empresário falando que as pessoas que fizeram o "Forgetting Sarah Marshall" estavam fazendo um filme novo com algumas das mesmas pessoas e eles perguntaram se eu estaria interessado em atuar como eu mesmo. "Forgetting Sarah Marshall" é na verdade um dos meus filmes favoritos dos últimos anos. Eu achei ele muito bem escrito, muito bem dirigido e a turma envolvida nele é ótima, então eu achei que seria interessante ser parte disso. Então eu voei para Los Angeles e fiz como me falaram por dois dias. É sempre divertido entrar em outras áreas e mundos que são desconhecidos. O mundo do Metallica e o mundo da música nós conhecemos tão bem e nós controlamos todos os elementos dele. Você entra num set de filmagem, você tem que fazer como é mandado e fazer com um sorriso e atuar junto. É divertido para perder o controle e só pegar carona.

Q: A internet mudou muito desde sua disputa com o Napster há 10 anos. Dito isso, você teria lidado de forma diferente?

Lars: Eu teria acordado do pesadelo antes. Eu acho que se teve algo, é que nós fomos pegos de surpresa sobre o quão passionais as pessoas eram com esse fenômeno todo de internet na época e meio que nos colocou um cabresto, mas marcamos nosso território e nos mantivemos firmes com nossos princípios e agora muitas pessoas estão dando tapinhas em nossas costas e falando o quão certo estávamos. Onde vocês estavam há 10 anos? Nós éramos os únicos por aí é o que eu diria. Mas está tudo bem - você ganha algumas, perde outras. Eu não me arrependo de nada disso. Certamente, foi uma época estranha já que sempre fomos os caras bons e de repente havia gente que não achava que éramos os caras bonzinhos, e foi uma situação diferente para nós.

06/07/2010

Mais um show na Nova Zelândia

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, adicionando mais uma data de show na Nova Zelândia, em 22 de Setembro:

Vocês pediram (tá certo, exigiram!) e nós te ouvimos. Quando ficamos a par dos vários abaixo-assinados para irmos a Christchurch, Nova Zelândia, nós precisávamos conferir... E uau, o número de pedidos era incrível! Então, a moral da história é tomar cuidado com o que pedem... Porque o Metallica está indo para sua cidade em 22 de Setembro no CBS Canterbury Arena!

E aqui está a pegadinha - nosso time de produção examinou durante as últimas semanas e não importa o quanto tentássemos reconfigura-lo, no final o CBS Canterbury Arena não está equipado para receber o palco central do show do "Death Magnetic" que temos levado ao redor do mundo nesta turnê. Isso não vai nos parar, mas nós queremos alertar que não poderemos levar o setup completo que vocês devem ter vistos em fotos no site ou verão se forem em outro show na Nova Zelândia ou Austrália. Será nós e VOCÊS, estilo old-school em uma arena fazendo muito barulho juntos, e é isso que conta.

Os ingressos irão a venda em 15 de Julho as 9:00 AM com a pré-venda da MyTKT começando 13 de Julho ao meio dia. Membros do fã-clube devem conferir www.metclub.com para informações sobre uma pré-venda especial para eles começando em 9 de Julho.

Obrigado a todos pelo amor e apoio... Nos vemos em Setembro!

Mustaine: "Uma turnê Megadeth/Metallica seria ótimo"

O webzine Stormbringer.at da Áustria realizou uma entrevista com o líder do Megadeth, Dave Mustaine, durante a passagem da banda por Viena em 1 de Julho de 2010. Confira o vídeo da conversa abaixo e a transcrição traduzida de alguns trechos:

Sobre a turnê "Big Four" [contando com Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax] ser algo especial para ele ou se é apenas "mais uma turnê do Megadeth":

Mustaine: "Claro que é especial. É histórico. É algo que muda a vida de muitas pessoas que estiveram lá. E eu acho que o direito de falar das pessoas que realmente testemunharam isso contra a alguém que viu isso no YouTube ou viu em uma sala de cinema ou verá no DVD quando sair... Eles não estiveram lá. Então ver de verdade foi algo fantástico. Ficar no palco onde eu estava [durante a jam dos Big Four no festival Sonisphere em Sofia, Bulgária, em 22 de Junho], ser capaz de olhar para os lados, de qualquer lado ser rodeado por tremendo talento, foi ótimo. É uma dessas coisas que no momento não parece tão grande quanto realmente é. Depois do fato, você olha para trás e fica... Sabe quando você sobrevive a um acidente de carro, você não pensa que é algo importante até que vê em câmera lenta, você pensa, 'oh, meu Deus, eu não acredito que eu sobrevivi'. Então subir no palco foi realmente incrível. Especialmente quando você olha para trás e vê como todos estavam se abraçando e como eu penso nisso... Se você estivesse lá, você ouviria quando, entre todos os adeus e tudo no final, quando James [Hetfield, do Metallica] e eu nos abraçamos, a platéia inteira foi a loucura, porque é isto que eles estavam esperando. É o que eu acho que James e eu estávamos esperando também, então é uma boa coisa."

Sobre se a turnê do Big Four ir aos Estados Unidos:

Mustaine: "Isto depende do Metallica, porque eu acho que é bem óbvio, para mim... Não precisa ser o "Big Four" para mim para tocar com James e Lars [Ulrich, baterista do Metallica]. Eu acho que se a turnê do Big Four nos EUA não acontecer, certamente uma turnê Megadeth/Metallica seria ótimo - seja só nós dois ou se tivermos uma banda de abertura ou algo assim. Mas sim, eu acho que foi realmente divertido pelo que representamos no heavy metal. Eu e James somos como os "grandes pais" desta coisa toda - nós fomos os dois guitarristas que colocamos as rodas para girar quando as primeiras fitas foram feitas pelo Metallica. Eu acho que é bem animador agora olhar para trás e ver todos os milhões de bandas que foram criadas a patir do que eu e James fizemos sentados em uma sala em Norwalk [Califórnia]."

02/07/2010

Cinemas reapresentam The Big Four no final de Julho

Segundo matéria do G1, as reapresentações da transmissão dos shows dos Big Four do thrash metal dos anos 80 - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax - que aconteceram no último dia 22 de Junho em Sofia, Bulgária, foram reagendadas para os dias 23 e 24 de Julho.

O circuito final será divulgado no dia 9, quando começam as vendas antecipadas de ingressos e os preços variam entre R$ 30 e R$ 40.

No dia 22 de Junho, as bandas se apresentaram em Sofia, na Bulgária, no quarto show — de um total de sete — da inédita turnê, dentro do festival itinerante Sonisphere. A apresentação teve transmissão para cerca de 800 salas de cinema, em 31 países, na América do Norte, Europa e América Latina. No Brasil, o show ganhou sessões no Rio, São Paulo, Brasília, Salvador e Santos.

Os "quatro grandes" tocaram desde clássicos até músicas mais recentes de seus repertórios, com destaque para o bis do Metallica, quando integrantes de todas as bandas (com exceção dos guitarristas do Slayer) subiram juntos ao palco para apresentar “Am I evil?”, do Diamond Head.

01/07/2010

Metallica indicado ao Golden Joystick Awards

Segundo a Glasswerk.co.uk, o Metallica foi indicado na categoria de "Jogo Musical do Ano" na maior premiação de video games do mundo, o Golden Joystick Awards. O "Guitar Hero: Metallica" enfrentará competição forte contra os populares "The Beatles: Rock Band" e "Guitar Hero: Van Halen".

Todas as três bandas lançaram seus jogos nos últimos 12 meses e foram indicados junto de outros sete jogos relacionados a música.

A lista completa de indicados pode ser conferida abaixo:

* Guitar Hero: Metallica
* DJ Hero
* Guitar Hero on Tour: Modern Hits
* Guitar Hero 5
* The Beatles: Rock Band
* Guitar Hero Greatest Hits
* Band Hero
* Guitar Hero: Van Halen
* Just Dance
* Lego Rock Band

As categorias no Golden Joystick Awards são votadas pelos próprios gamers e a cerimônia de premiação acontecerá este ano em Londres, Inglaterra, no hotel Park Plaza Westminster Bridge em 29 de Outubro.